64 grupos estão aptos à 11º Rodada de licitação de petróleo

Em disputa 123 blocos em terra e 166 em mar, sendo 94 em águas rasas e 72 em águas profundas.

:: Da redação13 de maio de 2013 17:28

64 grupos estão aptos à 11º Rodada de licitação de petróleo

:: Da redação13 de maio de 2013

plataforma

Fazem parte da 11ª Rodada de licitações
289 blocos de petróleo e gás natural
distribuídos numa área total de 115,8 mil
quilômetros quadrados

 

Depois de seis anos a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) retoma a partir desta terça-feira (14) os leilões de blocos destinados à exploração de petróleo e gás natural. Fazem parte da 11ª Rodada de licitações 289 blocos de petróleo e gás natural distribuídos numa área total de 115,8 mil quilômetros quadrados. Com um recorde de participantes – 64 grupos ao todo ante 61 grupos que participaram da 10ª Rodada em 2007 –, o leilão de concessão pelo sistema de partilha de produção coloca em disputa 123 blocos em terra e 166 em mar, sendo 94 em águas rasas e 72 em águas profundas, localizados em onze bacias sedimentares: Barreirinhas, Ceará, Espírito Santo, Foz do Amazonas, Pará-Maranhão, Parnaíba, Pernambuco-Paraíba, Potiguar, Recôncavo, Sergipe-Alagoas e Tucano Sul.

Nessa tão aguardada rodada de licitações, o edital da ANP privilegiou a descentralização geográfica da atividade exploratória, tendo em vista intensificar a presença de pequenas e médias empresas no setor petrolífero brasileiro, incluindo nos pré-requisitos de habilitação e qualificação que os vencedores utilizem equipamentos que tenham conteúdo nacional.

Em entrevista à Agência Brasil, o diretor da Agência, Helder Queiroz, explicou que a atividade de exploração sempre priorizou a busca de óleo e gás na região Sudeste, especialmente nas bacias de Campos, de Santos e do Espírito Santo, onde estão localizados os blocos que concentram mais de 90% da produção de petróleo e do gás no Brasil.

Queiroz afirma que a expectativa da ANP é que a rodada de leilões seja um sucesso do ponto de vista da venda de áreas e da diversificação de operadoras. “As perspectivas são otimistas até porque já há algum tempo não se faz leilão no País, e as empresas de petróleo vivem de um bom portfólio de áreas exploratórios para dar sustentação aos seus negócios. Com essa interrupção das licitações no País, aumentou o interesse e o apetite por esta nova rodada”, afirmou.

Segundo ele, a necessidade de descentralizar regionalmente a atividade levou à opção da agência reguladora pelas regiões Norte e Nordeste. “A maioria dos 289 blocos que serão ofertados nesta rodada estão nessas duas regiões, beneficiando estados como o Amapá, o Pará, o Maranhão, o Piauí, o Ceará, o Rio Grande do Norte e o Pernambuco, além das bacias maduras e já conhecidas em terra como a Potiguar”.

Na avaliação de Queiroz, o fato de a rodada não ter um foco específico em termos de oportunidade, uma vez que abrange empresas de pequeno, médio e grande portes, faz com que seja um leque de novas oportunidades para a indústria. “Essas duas características, descentralização regional e diversidade de atrações de oportunidade, caracterizam a rodada e fizeram com que ela tivesse grande atratividade que foi traduzida pelo número recorde de empresas habilitadas”, afirmou.

Sobre as vantagens dessas bacias, ele cita como exemplo o sucesso exploratório obtido pelas empresas internacionais em oportunidades geológicas análogas do outro lado do Atlântico, na África. “E aqui, na parte equatorial, há blocos com condições geológicas semelhantes do ponto de vista da formação geológica, especialmente com as dos blocos exploratórios da costa de Gana. E a gente sabe que os dois continentes há milhões de anos estavam ligados, daí essas similaridades geológicas serem muito grandes”.

Queiroz também destacou as áreas situadas na Foz do Amazonas, aquelas ao norte do Amapá e perto da fronteira com as Guianas, onde recentemente foram feitas descobertas interessantes a 50 quilômetros da fronteira brasileira.

Na licitação estão em oferta blocos em áreas maduras, onde já houve ou estão em curso atividades de exploração e produção de óleo e gás. Esses blocos estão nas bacias de Sergipe-Alagoas, Recôncavo e na porção terrestre da bacia do Espírito Santo. Vão disputar o leilão empresas ainda em fase de crescimento no setor, como a OGX Petróleo e Gás, a Queiroz Galvão Exploração e Produção e a PetroRecôncavo, e algumas gigantes do setor, como a Petrobras, a Repsol Sinopec Brasil, a Shell Brasil Petróleo e a Chevron.

Dos 64 grupos habilitados há empresas de 18 países, inclusive dos Estados Unidos, do Reino Unido, do Canadá, da Espanha e do Japão.

Empresas habilitadas para a 11ª Rodada de Licitações da ANP

01 – OGX Petróleo e Gás S.A.

02 – Queiroz Galvão Exploração e Produção S.A.

03 – Repsol Sinopec Brasil S.A.

04 – Shell Brasil Petróleo Ltda.

05 – Alvopetro S.A. Extração de Petróleo e Gás

06 – BG Energy Holdings Limited

07 – Ouro Preto Óleo e Gás S.A.

08 – Premier Oil PLC

09 – Woodside Energy Holdings (South America) PTY LTD.

10 – Murphy Exploration & Production Company

11 – BHP Billiton Petroleum PTY LTD.

12 – G3 Óleo e Gás Ltda.

13 – Gran Tierra Energy Brasil Ltda.

14 – Janeiro 1949 Extração de Petróleo Ltda.

15 – PetroRecôncavo S.A.

16 – Total E&P do Brasil Ltda.

17 – Compañia Española de Petróleos, S.A.U. – CEPSA

18 – ConocoPhillips Company

19 – Nova Petróleo S.A. – Exploração e Produção

20 – Sabre Internacional de Energia S.A.

21 – Sinochem Petróleo Brasil Ltda.

22 – Inpex Corporation

23 – JX Nippon Oil & Gas Exploration Corporation

24 – GDF Suez Energy Latin América Participações Ltda.

25 – Ecopetrol S.A.

26 – HRT O&G Exploração e Produção de Petróleo Ltda.

27 – Irati Petróleo e Energia Ltda.

28 – Novo Norte Energia e Consultoria Ltda.

29 – Petronas Carigali SDN BHD

30 – EP Energy do Brasil Ltda.

31 – Petróleos de Portugal S.A. – Petrogal

32 – Maersk Oil Brasil Ltda.

33 – Barra Energia do Brasil Petróleo e Gás Ltda.

34 – Exxonmobil Química Ltda.

35 – Statoil Brasil Óleo e Gás Ltda.

36 – Imetame Energia Ltda.

37 – Karoon Petróleo e Gás Ltda.

38 – PTT Exploration and Production Public Company Limited

39 – Sonangol Guanambi Exploração e Produção de Petróleo Ltda.

40 – Hess Corporation

41 – CNOOC International Limited

42 – Trayectoria Oil & Gas

43 – Petra Energia S.A

44 – UTC Óleo e Gás S. A

45 – Chevron Brazil Ventures Aps.

46 – Mitsubishi Corporation

47 – Kosmos Energy Ltd.

48 – Niko Resources Ltd.

49 – Chariot Oil & Gas Limited

50 – Mitsui & Co. Ltd.

51 – Pacific Brasil Exploração e Produção de Petróleo Ltda.

52 – Central Resources do Brasil Produção de petróleo Ltda.

53 – Petróleo Brasileiro S.A.

54 – Partex Brasil Operações Petrolíferas Ltda.

55 – Orteng Equipamentos e Sistemas Ltda.

56 – Cowan Petróleo e Gás Ltda.

57 – Tarmar Energia e Participações Ltda.

58 – Enel Trade S.p.A

59 – Brasoil Manati Exploração Petrolífera Ltda.

60 – Perenco S.A.

61 – BP Exploration Operating Company Limited

62 – Geopark Holding Limited

63 – Hupecol Operating Co. LLC

64 – Sumitomo Corporation

Com informações da Agência Brasil e da ANP

Leia também