Desvio de finalidade

Ação pede anulação de acordo da “Fundação Lava Jato”

FUP pede a anulação do acordo que quer destinar R$2,5 bilhões da estatal para uma entidade de direito privado
:: Da redação12 de março de 2019 10:01

Ação pede anulação de acordo da “Fundação Lava Jato”

:: Da redação12 de março de 2019

O coordenador da Federação Única dos Petroleiros(FUP), José Maria Rangel, protocolou na Justiça Federal do Rio de Janeiro, nessa segunda-feira (11), uma Ação Popular (AP) em que pede a anulação do acordo firmado entre a Petrobras, o Ministério Público Federal (MPF) e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos que visa destinar R$ 2,5 bilhões da estatal, de origem pública, para uma futura entidade de direito privado de combate à corrupção.

A ação denuncia denuncia Deltan Dallagnol e outros procuradores da operação Lava Jato que assinaram o acordo. Para Normando Rodrigues, assessor jurídico da FUP, o acordo é lesivo à Petrobras.

“Os procuradores se ufanam de ter devolvido à Petrobras R$ 3,24 bilhões, dos quais agora tomam de volta R$ 2,5 bilhões (…) Assim a vítima do crime (Petrobras) faz um acordo com o investigador do crime (MPF), que custa à vitima 77% do dinheiro que lhe foi devolvido”, explica.

Para a presidenta Nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), esse acordo evidencia que há um movimento para entregar a Petrobras ao capital estrangeiro. “Esta é maior evidência de que o recurso da pretensa Fundação do MP [da Lava Jato] é a propina que a turma da Lava Jato recebeu dos EUA para entregar a Petrobras. Essa é corrupção e lavagem de dinheiro de todo esse processo da força tarefa! Entregar informações estratégicas e acabar com nossa soberania”, apontou a petista.

Com informações da FUP, PT na Câmara e Revista Fórum

Leia também