Dois anos do golpe

Ação popular pede a anulação do impeachment

Petição apoiada por mais de 70 mil pessoas de cidades do Brasil e do exterior pretende reparar injustiça cometida contra Dilma e abrir caminho para revogação de medidas do governo Temer
:: Rede Brasil Atual18 de abril de 2018 09:56

Ação popular pede a anulação do impeachment

:: Rede Brasil Atual18 de abril de 2018

Dois anos após a sessão da Câmara dos Deputados que aprovou o prosseguimento, no Senado, do processo que levaria à deposição da presidenta eleita Dilma Rousseff (PT), movimentos que atuam em prol da anulação do impeachment anunciaram nessa terça-feira (17) o ingresso de uma ação popular na Justiça Federal do Distrito Federal que pede a nulidade do impeachment. Apoiada por mais de 70 mil pessoas, que assinaram formulários distribuídos por militantes em ruas, praças, eventos culturais, festas, manifestações, shows, atos políticos e outros espaços de grande movimentação em cidades brasileiras e do exterior, a petição é assinada pelo jurista Fábio Konder Comparato.

“O golpe tem de ser anulado porque não houve crime de responsabilidade. Tem de ser anulado mesmo que Dilma estivesse morta, para que possamos colocar sub judice todas as medidas tomadas pelo governo golpista, sem consulta à população”, disse a enfermeira aposentada Edva Aguilar, que integra a coordenação nacional do Movimento Anula o Impeachment, referindo-se a mudanças na lei trabalhista, ao congelamento de investimentos da União nas áreas sociais por 20 anos e ao esvaziamento e fim de diversas políticas públicas.

Confira a íntegra da matéria