Aldo acredita que Código aprovado na Câmara tem redação equilibrada

:: Da redação16 de agosto de 2011 18:37

Aldo acredita que Código aprovado na Câmara tem redação equilibrada

:: Da redação16 de agosto de 2011

O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) participa neste momento de audiência pública conjunta das comissões de Agricultura, Ciência e Tecnologia e Meio Ambiente para discutir o projeto do novo Código Florestal Brasileiro (PLC 30/2011). 

Aldo foi convidado a participar dos debates que vão respaldar a construção do relatório no Senado, em função do “ostensivo trabalho, de cerca de dois anos”, como afirmou o presidente da reunião, senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), na formatação da matéria aprovada no plenário da Câmara dos Deputados.

Segundo o próprio deputado, a vinda dele ao Senado tem por finalidade dividir as experiências, caminhos e resultados da legislação ambiental que apresentou. Nesse sentido, o parlamentar defendeu o texto como sendo o ponto de equilíbrio possível entre os lados extremistas – ambientalistas e ruralistas. “Fizemos um inventário dos problemas, olhando de perto, ouvindo todo mundo”, afirmou.

Reserva Legal
O parlamentar iniciou a explanação falando sobre as áreas de Reserva Legal (RL) – espaços dentro das propriedades rurais destinados a conservação do bioma, passível de ser utilizada para a produção sustentável. Para ele, RL é uma criação brasileira que não existe em nenhum lugar do mundo e que precisam ser pensadas sob a aplicabilidade delas em função da pequena agricultura.

“O único País com Reserva Legal é o Brasil”. “A existência da Reserva Legal coloca na ilegalidade mais de 90% das propriedades no Brasil. […] Existe uma morbidez nessa legislação que precisa ser consertada”, argumentou.

Organizações internacionais
Outro ponto muito criticado por Aldo foi a interpretação de que o Brasil deve ser o exemplo da preservação e sustentabilidade do Planeta. O deputado afirmou que os organismos internacionais ao invés de enaltecer as ações em função do meio ambiente, apenas se dedica a levantar críticas, quando nenhum outro País possui área de mata nativa similar.

“O Brasil é colocado no centro do debate internacional não pelo exemplo de preservação, mas como o País que atentaria contra o meio ambiente”, frisou.

Veja o projeto.

Mais informações a seguir

Catharine Rocha

Leia mais:

CCT passa a fazer parte da relatoria da matéria

Código Florestal: Tecnologia pode aumentar produção e preservar o meio ambiente

Código Florestal: Desastres naturais precisam ser levados para o debate

Fonte: Assessoria de Imprensa da Liderança do PT no Senado

Leia também