Ana Rita apoia luta contra o câncer de mama

:: Da redação7 de outubro de 2011 14:25

Ana Rita apoia luta contra o câncer de mama

:: Da redação7 de outubro de 2011

Para a senadora, o Outubro Rosa pretende sensibilizar o poder público sobre a importância de dar atenção adequada ao câncer de mama.

A senadora Ana Rita (PT-ES), destacou, nesta quinta-feira (6/10), a importância da prevenção, do diagnóstico ágil e do tratamento qualificado no combate ao câncer de mama. Em pronunciamento no plenário, ela citou as ações da campanha Outubro Rosa e lembrou que a doença mata por dia 30 mulheres no Brasil. “O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente da doença no mundo, sendo o mais comum entre as mulheres. Se diagnosticado e tratado oportunamente, as perspectivas de cura são grandes. O diagnóstico ágil e o tratamento qualificado garantem chances de cura de até 95%”, afirmou.

O Outubro Rosa é um movimento mundial contra o câncer de mama e tem o objetivo de garantir visibilidade ao tema e estimular a participação da população e entidades na luta contra a doença. “Mais do que chamar a atenção, o Outubro Rosa pretende sensibilizar o poder público sobre a importância de dar atenção adequada ao câncer de mama”, disse.

No Brasil, o movimento chegou em 2002. A marca principal é a iluminação de monumentos históricos com a cor rosa. No Espírito Santo, as atividades do Outubro Rosa foram abertas, no último dia 30.  A senadora participou. Desde então, o Palácio Anchieta, sede do Governo do Estado, está iluminado de rosa.

No Espírito Santo, a Campanha leva o nome de “Outubro Rosa – Um toque pela vida” e é organizada pela Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer, a Afecc.

A campanha no Estado prevê eventos em várias cidades. Neste domingo, 9 de outubro, haverá ação global do Ministério Público, na Praça da Papa. Entre as atividades, também, encontram-se palestras de prevenção de câncer na Comunidade da Piedade, Fonte Grande, Moscoso, Capixaba e Centro de Vitória.

Em Cariacica, haverá ações, no dia 22 de outubro. A campanha terá, ainda, no próximo dia 30, uma caminhada e no dia seguinte, 31 de outubro, Missa em Ação de Graças, na Igreja Santa Rita, na Praia do Canto.

Elogios – Em seu pronunciamento, Ana Rita, parabenizou o Estado  ter aderido ao Outubro Rosa, pelas atividades que desenvolve este mês e saudou a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer e a todos e todas que lutam contra a doença.

Segundo a senadora, a mamografia a partir dos 40 anos é um direito de todas as mulheres. “Garantir o acesso ao médico, a mamografia e a ultrassonografia na rede pública para todas as mulheres a partir dos 40 anos é fundamental. A incidência da doença não pode ser mudada, mas pode-se evitar muitas mortes com a detecção precoce que salva vidas”, afirmou. O direito a mamografia é previsto na Lei Federal 11.664, de 2008. A mamografia é considerada a melhor forma de detectar o câncer de mama, justamente por permitir o diagnóstico precoce da doença, especialmente em fase inicial e com tumores imperceptíveis ao toque.

A senadora destacou que o tema câncer merece atenção, pois a doença cresce em todo o mundo. Recente relatório da Agência Internacional para Pesquisa em Câncer revela que o impacto global do câncer mais que dobrou em 30 anos.

Em 2008, a Organização Mundial de Saúde estimou que ocorreriam 12,4 milhões de casos novos e 7,6 milhões de óbitos por câncer no mundo. Destes, os mais incidentes foram o câncer de pulmão, mama e cólon e reto. No Brasil, as estimativas, para o ano de 2010 e que são válidas para este ano, também, apontam para a ocorrência de quase 490 mil casos novos de câncer. O contínuo crescimento populacional, bem como o seu envelhecimento são fatores apontados como forma significativa do impacto do câncer no mundo.

Diante desse cenário, disse Ana Rita, fica clara a necessidade de continuidade em investimentos no desenvolvimento de ações abrangentes para o controle do câncer, nos diferentes níveis de atuação, como: na promoção da saúde, na detecção precoce, na assistência aos pacientes, na vigilância, na formação de recursos humanos, na comunicação e mobilização social, na pesquisa e na gestão do Sistema Único de Saúde.

Assessoria de Imprensa da senadora Ana Rita

Leia a íntegra do discurso 

Leia também