Ângela comemora criação de centro de atendimento a mulheres

O centro, acolherá mulheres migrantes, e encaminhará aos serviços de atendimento nos dois países.

:: Da redação25 de junho de 2012 23:45

Ângela comemora criação de centro de atendimento a mulheres

:: Da redação25 de junho de 2012

A senadora Ângela Portela (PT-RR) comemorou, nesta segunda-feira (25/06), no Plenário do Senado, a inauguração do primeiro centro de atendimento a mulheres migrantes vítimas de violência, na fronteira de Roraima com a Venezuela. O centro, que fica na cidade de Pacaraima, além de acolher mulheres migrantes, visa encaminhá-las a serviços da rede de atendimento a mulheres que sofreram violência, tanto do lado brasileiro quanto  venezuelano. “Compreendo que a existência do centro binacional representa uma grande conquista para as mulheres da região fronteiriça, do lado do Brasil em Paracaima, e do lado da Venezuela, em Santa Elena de Uairén. Há tempos essas cidades requeriam a existência de um centro binacional de atendimento às mulheres migrantes vítimas da violência sexual e doméstica”, afirmou Ângela Portela.

De acordo com a senadora, a região é ponto de entrada e saída de brasileiros e imigrantes e o tráfico de mulheres para prostituição é frequente. O problema, segundo ela, atinge principalmente adolescentes, seduzidas por promessas de uma vida melhor, que se transformam em vítimas de exploração sexual, cárcere privado e trabalho escravo. A senadora citou estudos acadêmicos sobre violência no país que apontam Roraima como um dos principais eixos de tráfico de pessoas. O estado também figurou como o terceiro mais violento do país, de acordo com o Mapa de Violência 2012, elaborado em conjunto pelo Ministério da Justiça e Instituto Sangari.

“Na fronteira Brasil-Venezuela, pode-se elencar uma série de problemas socioeconômicos, que vão desde o transporte de cargas do Brasil para a Venezuela, sem documentação, até o contrabando de combustíveis e de mercadorias, o tráfico de drogas e o tráfico de mulheres para a prostituição, sem dúvida nenhuma, o problema mais grave”, contou a senadora.

O Centro Binacional de Assistência a Mulheres Migrantes na Fronteira Brasil – Venezuela, é fruto de um acordo bilateral entre Brasil e Venezuela. Ele será coordenado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República do Brasil  e pelo Ministério do Poder Popular para a Mulher e a Igualdade de Gênero da Venezuela. No projeto, a Secretaria de Política para Mulheres investiu R$101 mil para compra de computadores e mobiliário, aquisição de automóvel e custeio de despesas, como o aluguel do imóvel. “Além do centro, foi instalado também o Comitê de Fronteira para atuar, em parceria dos dois países, no atendimento às vítimas de violência da região”, disse Ângela.

Leia a íntegra do discurso da senadora Ângela Portela

Foto: Agência Senado 

Leia também