Aníbal Diniz discute cooperação entre Brasil e Peru

Senador participou neste último final de semana do II Fórum de Municípios Fronteiriços Brasil-Peru

:: Da redação17 de outubro de 2011 14:00

Aníbal Diniz discute cooperação entre Brasil e Peru

:: Da redação17 de outubro de 2011

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) participou na cidade de Puerto Maldonado, no departamento peruano de Madre de Dios, do II Fórum Internacional de Municípios Fronteiriços Brasil-Peru. Durante o Fórum foram discutidas estratégias para a ampliação da cooperação entre os dois países, principalmente nas políticas de integração entre os municípios fronteiriços.

Na abertura do evento, Aníbal Diniz reconheceu o avanço nas políticas de consolidação da integração entre Brasil/Peru.  “Ainda temos muitos desafios pela frente, mas já temos muitos passos dados neste sentido. Precisamos reconhecer os avanços conquistados com o presidente Lula e com os governadores Jorge Viana e Binho Marques no sentido de concretizar a tão sonhada integração do Brasil-Peru, através do Acre, com a construção da rodovia Interoceânica”, destacou.

Para o senador, a rodovia Interoceânica, que corta o estado do  Acre tem uma grande parcela no trabalho de integração dos dois países. “Essa obra era o que faltava, porque simboliza que finalmente a tão sonhada a integração rodoviária aos povos do Pacifico é uma realidade”, afirmou o senador, que seguiu para o encontro no Peru pela rodovia Interoceânica. Aníbal Diniz viajou acompanhado de representantes do governo do Acre, entre eles o secretário de Estado de Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia, Edvaldo Magalhães.

Rodovia
A rodovia Interoceânica corta o estado do Acre e faz a ligação os Oceanos Atlântico e Pacífico, passando pelo Norte do Peru. Essa rodovia faz parte das Iniciativas de Integração Regional Sul-Americana, que têm implementado uma série de projetos para a integração entre os países da América do Sul. Para o Brasil, a construção da rodovia, passando pelo Peru, vai significar uma saída direta para a Oceania e Ásia e conquista de novos  mercados de cerca de 2,5 milhões de pessoas.

Assessoria do senador Aníbal Diniz

Leia também