Aníbal pede que Petrobras tenha forte presença no leilão da Bacia do Juruá

:: Da redação7 de outubro de 2013 19:53

Aníbal pede que Petrobras tenha forte presença no leilão da Bacia do Juruá

:: Da redação7 de outubro de 2013

Graça Foster disse que é acertado que o Governo Federal atue junto à Petrobras em todas as questões consideradas estratégicas

“A entrada da empresa é considerada por nós
como uma redenção para a região”, afirmou

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) aproveitou a sessão solene do Senado Federal realizada na manhã desta segunda-feira (7) em comemoração ao jubileu de prata da Petrobras, pelos 60 anos de sua criação, e fez um apelo à presidência da companhia para que participe ativamente do leilão para exploração de petróleo e gás na bacia do Vale do Juruá previsto para o mês de dezembro, de acordo com o cronograma da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). “Faço um apelo para que seja ampliado o número de poços perfurados nessa região e peço que a Petrobras não deixe essa licitação deserta. No Peru, próximo dessa bacia, vinte poços são operados. A entrada da empresa é considerada por nós como uma redenção para a região”, afirmou.

Segundo Aníbal Diniz, os testes fotométricos e sísmicos apontaram a elevada probabilidade de ocorrência de petróleo, e gás, principalmente. A participação da Petrobras no leilão tem muitos significados, na avaliação do senador, porque contribuirá para o rápido desenvolvimento econômico da região. Além disso, o ponto mais importante é que a possibilidade de utilizar o gás extraído da bacia do Vale do Juruá será diminuir a dependência de hoje em dia da energia elétrica produzida tendo como matriz o óleo diesel. “A exploração do gás permitirá, ainda, a redução da poluição”, disse.

Em seu discurso sobre os 60 anos da Petrobras, o senador observou que a solenidade também tinha o papel de ressaltar todas as qualidades da empresa no Congresso Nacional, até porque acontece de frequentemente a companhia ser alvo de discursos negativos pela oposição, ora questionando a saúde financeira, dos projetos ou de um aparelhamento. “Assumimos o enfrentamento para fazer justiça aos brasileiros que ao longo da história conseguiram transformar essa empresa numa referência no País e no exterior, que é orgulho dos brasileiros”, enfatizou.

Aníbal Diniz ressaltou a construção, pedra por pedra, da empresa que hoje é reconhecida como líder mundial na exploração de águas profundas e ultra-profundas e seus investimentos constantes em inovação tecnológica. “A Petrobras é uma empresa gerida com noção de estado e não de governo. Têm princípios técnicos na tomada de decisão, porque todas às vezes dizem que há partidarização, cometem uma injustiça porque a Petrobras é gerida com absoluta observância princípios técnicos”, salientou.

Soberania

MESA_71460024b8_z

“Somos grandes. Somos, de fato, uma potência do saber, do deter e do saber transformar petróleo
e gás em energia. E o nosso controlador faz muito bem em sentar conosco e em nos orientar em
todas as questões estratégicas”

A presidenta da Petrobras, Maria das Graças Foster, disse ser especial a homenagem recebida pelo Congresso Nacional, já que durante os discursos feitos por parlamentares do PT e de outros partidos, a criação da empresa em 1953 foi lembrada por ter nascido de uma campanha que ganhou as ruas, cujo slogan em defesa da soberania nacional era “o petróleo é nosso”.

“Foi a nossa gente que inspirou a criação dessa empresa. E é essa mesma gente brasileira que fez com que continuássemos existindo como empresa estatal, controlada pelo Governo Federal, unidos, crescendo, caminhando a passos largos, olhando para frente, transformando desafios em oportunidades e em riqueza para o povo brasileiro e para nossos acionistas”, disse ela.

Graça Foster disse que é acertado que o Governo Federal atue junto à Petrobras em todas as questões consideradas estratégicas. “Somos grandes. Somos, de fato, uma potência do saber, do deter e do saber transformar petróleo e gás em energia. E o nosso controlador faz muito bem em sentar conosco e em nos orientar em todas as questões estratégicas. Esse é um dever do dono”, enfatizou.

Segundo ela, neste momento a Petrobras de hoje já produz dois milhões de petróleo por dia e que, ao longo dos últimos dez anos, está sendo construída uma segunda Petrobras, que ficará pronta em breve, a Petrobras de 4,2 milhões de barris de petróleo por dia. “É essa Petrobras que vai refinar 3,6 milhões de barris de petróleo por dia e que construirá, sim, a Premium I e a Premium II no Ceará e no Maranhão. Juntos, nós estamos confiantes, enfrentando os obstáculos, para fazer nossa empresa dobrar de tamanho, para fazer nossa empresa dobrar sua produção de petróleo. Como eu disse, alcançaremos 5,6 milhões de barris de óleo equivalente, petróleo e gás, a cada dia”, afirmou.

Presente na solenidade, o ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, foi citado por sua sucessora. Graça Foster o elogiou pelos seis anos e meio que esteve á frente da empresa. Ela também elogiou o trabalho desenvolvido por outro ex-presidente, José Eduardo Dutra, hoje integrante da diretoria colegiada.

Mensagem de Dilma

“Petrobras carrega o Brasil no seu DNA”

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, citou os nomes de cada parlamentar e diretor da empresa que acompanharam a solenidade e, representando Dilma Rousseff no evento, leu a mensagem encaminhada pela presidenta: É com entusiasmo que saúdo esta sessão solene do Congresso Nacional, em homenagem aos 60 anos da Petrobras. Esse é um justo reconhecimento da Casa do povo à companhia que ajudou a mudar o Brasil para melhor, para bem melhor.

A história da economia brasileira pode ser dividida entre antes e depois da Petrobras. Foi a coragem política, a inovação tecnológica e a competência profissional da Petrobras que transformara o Brasil entre os grande países produtores de óleo no mundo. Hoje são dois milhões de barris por dia, mas esse é só o começo. Com o pré-sal, a Petrobras irá chegar a 4,2 milhões de barris de petróleo por dia, em 2020.

Já a capacidade de refino irá crescer de 2 mihões de barris para 3 milhões. É um salto gigantesco para qualquer companhia, menos para a Petrobras, porque a Petrobras carrega o Brasil em seu DNA. Com a liderança da Petrobras, o campo de libra que iremos licitar no dia 21 de outubro dará partida a uma profunda mudança no Brasil.

Apenas com a exploração de Libra poderemos arrecadar, nos próximos 35 anos, entre R$ 300 bilhões e R$ 700 bilhões no Fundo Social. Isso significa mais recursos para a saúde e educação, mais capacitação tecnológica, mais emprego, mais geração de riqueza e divisas para todo o País, mais desenvolvimento para o Brasil.

A iniciativa do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) com o apoio do deputado Luiz Alberto (PT-BA) de homenagear a Petrobras nesta data especial é por tudo que esta empresa representa para o nosso País é extremamente louvável.

Parabéns ao Congresso por esta sessão solene, parabéns à Petrobras, aos funcionários e colaboradores pela história de sucesso construída nesses 60 anos.

Esses foram apenas os primeiros 60 anos da Petrobras como eixo do desenvolvimento do Brasil. Que venham muitas outras décadas dessa extraordinária parceria entre a Petrobras e o povo brasileiro.

Cumprimentos a esta empresa que é um orgulho nacional.

Leia também