Aníbal rebate Rollemberg: GDF não quer que Embrapa feche

Senador do PT do Acre esvazia denúncia contra Agnelo

:: Da redação10 de março de 2014 21:48

Aníbal rebate Rollemberg: GDF não quer que Embrapa feche

:: Da redação10 de março de 2014

 Em resposta à denúncia do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) de que o Governo do Distrito Federal estaria patrocinando o encerramento das atividades da Embrapa Cerrados, o senador Aníbal Diniz (PT-AC) subiu a tribuna do Senado para esclarecer que o “ácido” ataque não se justificava. Em um telefonema para o senador petista, o Secretário de Habitação e Regularização Fundiária do Distrito Federal, Geraldo Magela, explicou o impasse entre o administração regional e a empresa de pesquisas agrícolas ocorre por conta do terreno que a Embrapa ocupa hoje e onde deverá ser construído um conjunto habitacional.

“Segundo o secretário, a área cedida a Embrapa Cerrados há 30 anos, como um comodato, se tornou urbana e está sendo reivindicada pelo Governo do Distrito Federal para a construção de 4.800 apartamentos do programa Minha Casa, Minha Vida. Entretanto, o GDF se propôs a ceder outra área com a mesma extensão dos 90 hectares para que a Embrapa continue os seus trabalhos, as suas pesquisas”, explicou Aníbal.

O novo conjunto habitacional de moradias populares do Distrito Federal deve beneficiar cerca de 4.800 famílias. E o diálogo entre a administração do DF e a diretoria da Embrapa Cerrados sobre a concessão de outra área para a continuidade das atividades de pesquisas já existe há, pelos menos, cinco anos.

 “O Governo do Distrito Federal não tem nenhum interesse, nenhuma intenção de prejudicar a Embrapa. Pelo contrário, quer garantir que ela continue com o seu espaço para realização de pesquisa, que são relevantíssimas para o setor produtivo nacional”, informou o senador.

O senador ainda falou de incomodo que sente toda vez que vê um representante atacando o Governo do Distrito Federal e não há ninguém para fazer um contraponto. “O Governador Agnelo precisa estar atento com sua equipe no sentido de prestar os esclarecimentos devidos, porque nós da Bancada do Partido dos Trabalhadores nos sentimos incomodados quando ocorrem essas afirmações, às vezes injustas”, afirmou.

Leia também