Aos parlamentares europeus, Lula destaca inclusão social no Brasil

:: Da redação8 de abril de 2013 15:51

Aos parlamentares europeus, Lula destaca inclusão social no Brasil

:: Da redação8 de abril de 2013

“Com o Bolsa Família, incluímos um País
na nossa economia, como vocês fizeram
após a queda do muro de Berlim”

O ex-presidente Lula se reuniu, na última sexta-feira (5), na sede do Instituto Lula, em São Paulo, com a Comissão de Assuntos Exteriores do Parlamento Europeu. Dentre os assuntos abordados no encontro, Lula destacou o programa Bolsa Família que, segundo ele, proporcionou uma inclusão social no Brasil equivalente à ocorrida na Alemanha após a queda do muro de Berlim.

Sobre a crise econômica mundial, o ex-presidente criticou o que chamou de terceirização da política para técnicos e burocratas e defendeu que os políticos se sentem para encontrar uma solução.

 

Leia a íntegra:

“Com o Bolsa Família, incluímos um país na nossa economia, como vocês fizeram após a queda do muro de Berlim”, diz Lula a parlamentares europeus

Crise econômica, regulação de mercados e organismos multilaterais foram temas do encontro

Em reunião na tarde desta sexta-feira (5) com a Comissão de Assuntos Exteriores do Parlamento Europeu, o ex-presidente Lula ressaltou que a inclusão feita com o Bolsa Família no Brasil equivale àquela feita pela Alemanha com a queda do muro de Berlim. Lula citou dados de que mais de 40 milhões de brasileiros foram incluídos social e economicamente com o programa.

A União Europeia é um patrimônio democrático da humanidade
Lula afirmou também a importância crucial da União Europeia. Ele ressaltou que os europeus não podem deixar que a crise abale as conquistas sociais que eles fizeram até hoje. A deputada portuguesa Ana Gomes concordou com o ex-presidente e disse: “A Europa é mais que uma economia, é um projeto de paz”.

Ainda sobre a crise, Lula afirmou que “está na hora dos políticos voltarem a fazer política”. Ele criticou de forma veemente a terceirização da política a técnicos e burocratas e afirmou acreditar que os problemas possam se resolver com todos os líderes políticos sentando para conversar. “Sempre alguém ganha e alguém perde, mas é preciso pensar o que é melhor para o futuro”, afirmou. “Esse dinheiro que está circulando sem gerar uma única caneta precisa ser canalizado para produção”.

Para Lula, um dos principais problemas dessa crise é a especulação financeira e a falta de controle dos mercados. Ele argumenta que a circulação de dinheiro apenas em negócios especulativos não produz nada concreto, não gera empregos e não movimenta a economia. O ex-presidente tem defendido em diversas ocasiões que a saída para a crise para pelo crescimento e geração empregos. “Decidimos as coisas em organismos multilaterais e quando voltamos aos nossos países o que importa são nossos eleitores”.

O tema das organizações multilaterais também foi pauta do encontro. Lula contou que se as decisões tomadas no G20 tivessem sido executadas, muitos problemas hoje estariam resolvidos. A questão é que cada presidente volta para o seu país e o que passa a importar são as eleições internas.

A comitiva da Comissão de Assuntos Exteriores do Parlamento Europeu que visitou o Instituto Lula esta tarde era composta por Elmar Brok (Alemanha), José Ignacio Salafranca (Espanha), Francisco Millán Mon (Espanha), Ana Gomes (Portugal), Jelko Kacin (Eslovênia) e Robert Kowal (Polônia). Esta é a primeira visita da comissão ao Brasil e o objetivo da visita é estruturar relações regulares com o congresso e lideranças políticas brasileiras.

Instituto Lula

Leia também