“Benefícios sociais são direitos legítimos”, diz Dilma

:: Da redação17 de dezembro de 2013 12:55

“Benefícios sociais são direitos legítimos”, diz Dilma

:: Da redação17 de dezembro de 2013

Presidenta enfatiza em evento de assistência social que recursos para área social são investimentos e não custos

Dilma: “Brasil pode se orgulhar de contar com
uma política de assistência social que superou
o estigma da ajuda e do favor” (PR)

“Não é custo, é investimento que nós fazemos naquilo que o país tem de mais valoroso, as pessoas”. Assim traduziu a presidenta Dilma Rousseff, em Brasília, na abertura da 9ª Conferência Nacional de Assistência Social,  ao ressaltar a importância das políticas sociais executadas pelo Sistema Único de Assistência Social (Suas), pelos centros de Referência de Assistência Social e os centros de Referência Especializadas de Assistência Social, rede que, enfatizou Dilma, garantem ao Estado brasileiro a condição “especial” de “chegar lá onde vive a nossa população e onde mais se precisa da assistência social”.

A presidenta Dilma Rousseff ainda disse que é positiva a valorização que se tem dado às políticas públicas de assistência social no Brasil nos últimos doze anos e que, ao final, essas políticas acabam sendo a porta de entrada para o acesso dos cidadãos a outras políticas.

A presidenta também lembrou que o desenvolvimento econômico é importante para o País, na medida em que mantiver seu caminho ao lado do desenvolvimento social. Foram os recursos investidos na assistência social, enfatizou, que permitiu a saída de milhões de pessoas da extrema pobreza no Brasil. “Para nós, recurso para a área social não é custo, é investimento que nós fazemos no nosso país naquilo que ele tem de mais valoroso, as pessoas”, reforçou Dilma, ao frisar que a assistência social está entre as mais importantes políticas públicas do país. “Hoje o Brasil pode se orgulhar de uma política de assistência social, que é pública, conseguindo superar o velho estigma da ajuda e do favor. Os benefícios e os serviços são amparados por leis nacionais e passaram a ser vistos na condição legítima de direitos sociais”, afirmou.

A entrada em vigor de vários programas sociais do governo, enfatizou a presidenta, fez com que a assistência social deixasse de ser atribuição exclusiva das entidades filantrópicas. O papel social dessas entidades, sublinhou a presidenta, ainda é da maior importância no atendimento a crianças em abrigos, a idosos em casas de acolhimento e à população em situação de rua. “Felizmente essas entidades estavam disponíveis”, afirmou Dilma. “Nós temos a firme determinação de continuar trabalhando em parceria com todos aqueles que, generosos e solidários, se dedicaram aos mais vulneráveis”.

A 9ª Conferência Nacional de Assistência Social começou hoje e vai até quarta-feira (19). O governo espera a participação de mais de 3000 pessoas, entre delegados e convidados.

Leia também