Ataque à educação

Governo “economiza” R$ 4 mi com bolsas e torra R$ 7,1 mi com carros

Os novos cortes nas bolsas da Capes atingem 2.331 bolsas de mestrado, 335 de doutorado, 58 de pós-doutorado
:: Cyntia Campos5 de junho de 2019 11:44

Governo “economiza” R$ 4 mi com bolsas e torra R$ 7,1 mi com carros

:: Cyntia Campos5 de junho de 2019

O governo Bolsonaro anunciou, na última terça-feira (4), 2,7 mil novos cortes em bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado oferecidas pela a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Apenas em 2019, a tesoura governamental já dizimou 6.198 bolsas, resultando em uma economia de R$ 4 milhões — pouco mais da metade do gasto de R$ 7,1 milhões com os 30 novos automóveis comprados para servir ao presidente, ao vice e seus parentes.

Sem futuro
“Sinceramente, é difícil de entender”, reagiu o líder do PT no Senado, Humberto, Costa (PE). Sem investimento em pesquisas, educação, ciência e tecnologia, as perspectivas de futuro para o Brasil são desanimadoras.

“O Brasil vai ser o quê? Um país para produzir soja e para vender fruta? É isso que vai nos inserir no contexto internacional? Isso é uma vergonha!”

Senador Humberto Costa (PE), líder da Bancada do PT no Senado Federal

Os novos cortes nas bolsas da Capes atingem 2.331 bolsas de mestrado, 335 de doutorado, 58 de pós-doutorado.

Pauta da morte
Humberto destacou a diferença entre os desmandos de Bolsonaro e o compromisso que os governos do sempre tiveram com a Educação. “Os governos petistas botaram gente na escola, na formação profissional, na universidade”.

O senador lembrou programas como o Ciência sem Fronteiras, que permitiu a jovens brasileiros a oportunidade de fazer doutorado e mestrado nas melhores universidades do mundo.

Esse mesmo governo que elegeu a Educação como inimiga, aponta Humberto, é o que aposta na pauta da morte. Não bastasse a liberação das armas—para quem tem dinheiro e pode pagar — agora coloca em risco até bebês e crianças pequenas, pretendendo dispensar a obrigatoriedade das cadeirinhas nos automóveis.

“Que pauta é essa que está sendo proposta para o Brasil? É a pauta sombria, é a pauta da morte, é a pauta necrófila”, denunciou Humberto.

Leia também