Ataque à educação

Governo “economiza” R$ 4 mi com bolsas e torra R$ 7,1 mi com carros

Os novos cortes nas bolsas da Capes atingem 2.331 bolsas de mestrado, 335 de doutorado, 58 de pós-doutorado
:: Cyntia Campos5 de junho de 2019 11:44

Governo “economiza” R$ 4 mi com bolsas e torra R$ 7,1 mi com carros

:: Cyntia Campos5 de junho de 2019

O governo Bolsonaro anunciou, na última terça-feira (4), 2,7 mil novos cortes em bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado oferecidas pela a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Apenas em 2019, a tesoura governamental já dizimou 6.198 bolsas, resultando em uma economia de R$ 4 milhões — pouco mais da metade do gasto de R$ 7,1 milhões com os 30 novos automóveis comprados para servir ao presidente, ao vice e seus parentes.

Sem futuro
“Sinceramente, é difícil de entender”, reagiu o líder do PT no Senado, Humberto, Costa (PE). Sem investimento em pesquisas, educação, ciência e tecnologia, as perspectivas de futuro para o Brasil são desanimadoras.

[blockquote align=”none” author=”Senador Humberto Costa (PE), líder da Bancada do PT no Senado Federal”]“O Brasil vai ser o quê? Um país para produzir soja e para vender fruta? É isso que vai nos inserir no contexto internacional? Isso é uma vergonha!”[/blockquote]

Os novos cortes nas bolsas da Capes atingem 2.331 bolsas de mestrado, 335 de doutorado, 58 de pós-doutorado.

Pauta da morte
Humberto destacou a diferença entre os desmandos de Bolsonaro e o compromisso que os governos do sempre tiveram com a Educação. “Os governos petistas botaram gente na escola, na formação profissional, na universidade”.

O senador lembrou programas como o Ciência sem Fronteiras, que permitiu a jovens brasileiros a oportunidade de fazer doutorado e mestrado nas melhores universidades do mundo.

Esse mesmo governo que elegeu a Educação como inimiga, aponta Humberto, é o que aposta na pauta da morte. Não bastasse a liberação das armas—para quem tem dinheiro e pode pagar — agora coloca em risco até bebês e crianças pequenas, pretendendo dispensar a obrigatoriedade das cadeirinhas nos automóveis.

“Que pauta é essa que está sendo proposta para o Brasil? É a pauta sombria, é a pauta da morte, é a pauta necrófila”, denunciou Humberto.

Leia também