bolsonaro genocida

Bolsonaro tem a desordem como estratégia política, diz Humberto

"O que o governo Bolsonaro está fazendo é negando o acesso da população a uma vacina que pode evitar a contaminação e a morte de milhares de brasileiros por uma doença que tem assustado todo o mundo”, criticou o senador
:: Assessoria do senador Humberto Costa22 de outubro de 2020 09:46

Bolsonaro tem a desordem como estratégia política, diz Humberto

:: Assessoria do senador Humberto Costa22 de outubro de 2020

Após o presidente Jair Bolsonaro anunciar o cancelamento da compra de 46 milhões de doses da Coronavac, o senador Humberto Costa (PT-PE) disse que há uma tentativa de sobrepor os interesses pessoais e ideológicos do presidente à vida dos brasileiros. A Coronavac é da farmacêutica chinesa Sinovac e, no Brasil está sendo produzida pelo Instituto Butantã, que já é responsável por fabricar cerca de 75% das vacinas distribuídas pelo Ministério da Saúde. A Coronavac seria usada no programa de imunização brasileiro.

O que o governo Bolsonaro está fazendo é negando o acesso da população a uma vacina que pode evitar a contaminação e a morte de milhares de brasileiros por uma doença que tem assustado todo o mundo”.

Senador Humberto

Para o senador, o presidente tem tido permanentemente uma postura de sabotar todos os esforços para enfrentar e derrotar essa pandemia. “No Brasil, cerca de 155 mil pessoas morreram vítimas da doença no país. Quantos mais precisarão morrer para aplacar a sanha desse governo genocida?”, questionou.

Humberto também lembrou as três trocas no comando do Ministério da Saúde durante a pandemia e a série de trapalhadas ocorridas na pasta nesse período.”O que Bolsonaro defende é o caos. Ele quer é comandar eternamente um país em ruínas, onde o povo passe fome e continue sendo fortemente atingido pela Covid-19. Nesses sete meses que o país enfrenta a pandemia, o presidente não apresentou sequer uma proposta para conter o coronavírus. Ele apóia o vírus e não os brasileiros”, afirmou.

O senador disse que a posição do governo Bolsonaro, inclusive, fere princípios constitucionais e que o presidente pode e deve responder judicialmente por sua postura. Em nota, os partidos de oposição prometeram ir ao Supremo Tribnal Federal (STF), caso o presidente mantenha o veto à vacina. “O que o governo Bolsonaro está fazendo não tem outro nome: é assassinato. O presidente deveria estar preocupado em garantir a imunização da população e não em fazer discurso ideológico raso”, afirmou.

Confira a íntegra da matéria

Leia também