Brasil deve se apresentar como liderança mundial na Rio+20, diz ministra

:: Da redação29 de fevereiro de 2012 21:34

Brasil deve se apresentar como liderança mundial na Rio+20, diz ministra

:: Da redação29 de fevereiro de 2012

Para ministra do Meio Ambiente, País pode contribuir com a construção de novos caminhos que levem ao desenvolvimento sustentável e a erradicação da pobreza

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, falou sobre os preparativos que antecedem a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) aos senadores da Comissão de Meio Ambiente (CMA), nesta quarta-feira (29/02). Ela explicou que o Governo brasileiro quer se apresentar como uma liderança mundial para a construção de novos caminhos que levem ao desenvolvimento sustentável e à erradicação da pobreza.

Izabella destacou que as políticas sociais, que retiraram milhões de brasileiros da pobreza, despertaram o interesse de outros países. “O Brasil é novamente visto como estratégico, tanto pelos resultados positivos obtidos na área, como pelo compromisso político assumido na luta contra a miséria”, disse.

A ministra destacou que, também nas questões ambientais, o País também tem condições de assumir o pioneirismo, como o fez no passado com a elaboração de legislações que regularam a ocupação do solo e a proteção das florestas e a realização da Rio92. Segundo ela, a atual crise mundial, cujos efeitos estão sendo principalmente sentidos na União Europeia, intensificou debates sobre a economia verde. E, nesse sentido, o Brasil pode assumir uma discussão mais profunda sobre mudanças nos padrões de consumo atuais. “Precisamos ser construtivos. Mudar a noção de progresso. É fácil colocar a palavra sustentável, mas é difícil fazer isso em situações concretas”, afirmou Izabella.

Na mesma linha, o senador Jorge Viana (PT-AC) também defendeu a busca por alternativas que “limitem o consumismo desenfreado”. E observou mais uma vez que a Conferência é uma excelente oportunidade para que o Brasil se projete como um líder mundial. “É preciso assumir a liderança nas negociações. E o País tem força para isso. A Rio+20 está no melhor endereço”.

A Conferência

A Rio+20 ocorrerá entre os dias 13 e 22 de junho de 2012. Ela acontece 20 anos após a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (UNCED), mais conhecida como Rio92. Os dois temas em foco na Conferência serão: uma economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e o quadro institucional para o desenvolvimento sustentável.

A Conferência será divida em três fases. Na primeira, de 13 a 15 de junho, ocorrerá a última sessão do comitê preparatório para discutir o texto final do encontro. Entre 16 e 19, haverá atividades dedicadas apenas a sociedade civil. E nos três últimos dias (20, 21 e 22), as reuniões serão com os chefes de Estado e Governo.

A participação da sociedade foi avaliada pela ministra como algo “inovador”. Izabella explicou que líderes da sociedade civil serão escolhidos para atuar nas mesas de discussão e junto aos governos.

Izabella Teixeira também serenou a inquietação dos senadores que temiam o fracasso da Rio+20, em razão da ausência de importantes chefes de Estado. “A presidente Dilma está pessoalmente engajada em trazer os chefes de Estado. Em viagens que fará a Índia e aos Estados Unidos reforçará o convite. Líderes europeus virão em peso, assim como outros líderes de nações-chave. Tão logo tenhamos os nomes, vamos torná-los públicos”, garantiu.

Catharine Rocha
 

Leia mais:

Rio+20 pode lançar Brasil como liderança mundial, diz Viana

Congresso aprova recursos para Rio+20 e ações de segurança

Leia também