Brasil, ONU e Banco Mundial lançam plataforma “por um Mundo sem Pobreza”

:: Da redação24 de março de 2014 20:28

Brasil, ONU e Banco Mundial lançam plataforma “por um Mundo sem Pobreza”

:: Da redação24 de março de 2014

Parceria tem início com portal na web com informações necessárias para aplicação das políticas brasileiras

 

Tereza Campello: plataforma vai ajudar
gestores a aplicar o que o Brasil vem
fazendo contra a miséria (MDS)

 

O êxito dos programas sociais brasileiros, como o Bolsa Família e o Plano Brasil Sem Miséria, por exemplo, continuam chamando a atenção mundo afora, vencendo a barreira de silêncio criada pelos maiores órgãos de mídia do País.

A ONU (Organização das Nações Unidas), que já classificou o Bolsa Família como exemplo, seja para adoção em países pobres ou para populações excluídas dos mais ricos, uniu-se ao Banco Mundial para, junto com o governo brasileiro abrir uma nova etapa para troca de experiências entre nações e inspirar novas iniciativas. O resultado da parceria é o “Iniciativa Brasileira de Aprendizagem por um Mundo sem Pobreza” (WWP – World Without Poverty, na sigla em inglês).

Na última sexta-feira (21), foram lançados os primeiros produtos da parceria: o sítio www.wwp.org.br – uma plataforma para intercâmbio de experiências brasileiras para redução da pobreza e iniciativas internacionais – e o Sumário Executivo do livro Programa Bolsa Família: uma década de inclusão e cidadania, publicação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Durante o lançamento, a ministra do MDS, Tereza Campello, explicou que o conteúdo da plataforma não é apenas um resumo de cada programa social. “Na WWP, são encontradas as informações completas. É uma honra para o Brasil sediar um espaço virtual para o combate à pobreza. Espero que a plataforma seja um instrumento para mudanças sociais no mundo”, afirmou. Segundo ela, é um desafio para os gestores ver o que o Brasil está fazendo e tentar aplicar no seu país, observando as particularidades de cada um. “Não são todas as ações que cabem em países diferentes do Brasil.”

A diretora do Banco Mundial para o Brasil, América Latina e Caribe, Deborah Wetzel, destacou a importância das políticas sociais brasileiras. “O sucesso da experiência do Brasil na redução da pobreza e da desigualdade social está no como fazer, como é feito o Cadastro Único, como os recursos chegam aos beneficiários. Isso tudo com resultado na melhoria da educação e saúde. Isso melhora o futuro do país”, afirmou.

O ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos e presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Marcelo Neri, lembrou o exemplo de trabalho de outro país que pode entrar no portal: o programa de microcrédito desenvolvido por Bangladesh e adotado pelo Brasil em 2003. “O Crediamigo (programa) nasceu de uma experiência que já ganhou o prêmio Nobel”, destacou.

O representante do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo da ONU, Jorge Chediek, afirmou que o Brasil é um exemplo para outros países de que é possível acabar com a pobreza. “O investimento nos pobres melhora os dados econômicos do país”, resumiu.

Pobreza

 A pobreza é um problema mundial. Cerca de 1 bilhão de pessoas não têm água potável, saneamento básico e educação. Segundo dados da Organização das Nações Unidas, mais de 70% dessas pessoas são mulheres. Hoje, 15% da população mundial, ou 1 bilhão de pessoas, sobrevivem com menos de US$ 1,25 por dia.

O Brasil saiu na frente na luta contra a pobreza e a desigualdade, por meio de programas sociais, entre eles o internacionalmente premiado Bolsa Família. O programa, criado em 2003, transfere renda para famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza. O programa atingiu um número impressionante. Hoje alcança aproximadamente 14 milhões de famílias, ou mais de 50 milhões de pessoas, cerca de ¼ da população brasileira, sendo o maior programa de transferência de renda direta do mundo. Entre 2001 e 2011, a pobreza extrema no Brasil foi reduzida pela metade, passando de 9,7% para 4,3% da população.

As informações sobre como o Brasil conseguiu esses resultados estarão na WWP. Portanto, a plataforma reunirá dados sobre programas como o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o Programa Bolsa Família, o Plano Brasil Sem Miséria, entre outros.

A WWP é uma parceria do Banco Mundial com o Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC/PNUD), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o MDS. Nela, estarão disponíveis publicações, apresentações, notícias e material multimídia, com versões em português, inglês e espanhol.

Com agências de notícias

Leia mais:

Para um mundo sem pobreza – Por Jim Yong Kim

Bolsa Família aumenta conexão entre políticas públicas

 

Leia também