Brasil sobe para o 4º lugar em investimento estrangeiro em 2012

Brasil recebeu US$ 65,3 bilhões em investimentos diretos, segundo a Unctad, órgão da ONU, sendo superado apenas pelos EUA, China e Hong Kong.

:: Da redação26 de junho de 2013 20:59

Brasil sobe para o 4º lugar em investimento estrangeiro em 2012

:: Da redação26 de junho de 2013

Entre os países que mais receberam fluxos de Investimento Estrangeiro (IED) em 2012, o Brasil subiu da quinta posição em 2011 para a quarta em 2012, com um volume total de US$ 65,3 bilhões, segundo relatório da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad), divulgado nesta quarta-feira (26) no país pela Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica (Sobeet). A participação do país no volume movimentado no mundo entretanto, passou de 4% para 4,8% em 2012.

O País foi superado apenas por Estados Unidos, que receberam US$ 168 bilhões, China (US$ 121 bilhões) e Hong Kong (US$ 75 bilhões). No grupo das dez economias que mais receberam IED, figuram também Ilhas Virgens, Reino Unido, Austrália, Cingapura, Rússia e Canadá.

No documento, o órgão da ONU destaca as medidas foram adotadas no Brasil em 2012 para a indústria, a tecnologia e o comércio internacional. “A política inclui uma mistura de incentivos fiscais, empréstimos a taxas preferenciais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e alívio tributário. Em particular, um novo regime (Inovar-Auto) foi aprovado para encorajar investimentos na eficiência dos veículos, na produção nacional, em pesquisa e desenvolvimento e na tecnologia automotiva”, cita o relatório.

Pela primeira vez na história, os países em desenvolvimento obtiveram mais investimento estrangeiro do que as economias desenvolvidas – juntos, os países em desenvolvimento atraíram com 52% do fluxo total de IED no ano passado.

Em seu ‘Relatório de Investimento Mundial de 2013 – cadeias de valor global: investimento e comércio para o desenvolvimento’, divulgado hoje, o órgão da ONU prevê também que o fluxo de IED em 2013 continuará perto do nível de 2012, podendo chegar a US$ 1,45 trilhão.

Informações do G1

Leia também