Brasil voltará a ser autossuficiente em petróleo em 2014

Até 2017, a produção diária será de mais de 1 milhão de barris de petróleo só no pré-sal. A meta será viabilizada pelo Plano de Negócios que prevê investimento de US$ 236,7 bilhões até 2017. 

:: Da redação19 de abril de 2013 14:04

Brasil voltará a ser autossuficiente em petróleo em 2014

:: Da redação19 de abril de 2013

 

Até 2017, a produção diária será de mais
de 1 milhão de barris de petróleo só no pré-sal

O Brasil voltará a ser autossuficiente em petróleo do pré-sal, a partir do ano que vem. A informação foi dada pela Petrobras, nesta quinta-feira (18) – segundo a empresa, o País atingirá a autossuficiência volumétrica, ou seja, volumes iguais de petróleo produzido e de derivados consumidos, contando a produção da estatal, de seus parceiros e de outras empresas produtoras. A meta será viabilizada pelo Plano de Negócios que prevê investimento de US$ 236,7 bilhões até 2017.

Segundo a empresa, a autossuficiência em petróleo tinha sido atingida em 2006, mas, entre 2007 e 2012, a demanda por derivados cresceu 4,9%, enquanto a produção aumentou 3,4%.

A curva de produção da Petrobras no Brasil apresentará crescimento contínuo até atingir a meta estabelecida pelo Plano de Negócios e Gestão 2013-2017, que é 2,5 milhões de barris por dia em 2016, 2,75 milhões em 2017 e 4,2 milhões em 2020.

Em 2020, a Petrobras estima que terá capacidade de refinar 3,6 milhões de barris por dia, enquanto o consumo deverá ficar em torno de 3,4 milhões de barris diários. “A produção brasileira de petróleo passará, então, a superar a produção de derivados, o que também dará ao país a autossuficiência em derivados”, afirma a empresa, em nota.

Nos planos da estatal, a produção chegará ao patamar de 4,2 milhões de barris de petróleo por dia em 2020, quando a produção de petróleo passará então a superar a produção de derivados. Na previsão da estatal, em 2020, ela terá uma capacidade de refino de 3,6 milhões de barris/dia e um consumo da ordem de 3,4 milhões de barris diários.

A companhia destaca que, neste ano, sete novas plataformas entrarão em operação, o que permitirá o aumento da produção. Até 2020, a Petrobras planeja colocar em operação 38 novas plataformas.  Duas delas já chegaram às suas locações, e a terceira – Cidade de Paraty – está a caminho do Campo de Lula Nordeste, no Pré-Sal da Bacia de Santos, onde começará a produzir em 28 de maio. O resultado desses novos projetos será o crescimento sustentado da curva de produção da Petrobras a partir de 2014. Até 2020, a Petrobras colocará em operação 38 novas plataformas, das quais 25 começarão a produzir até 2017.

A Petrobras dispõe hoje do maior portfólio e da carteira de projetos mais robusta e diversificada entre as empresas do setor. Estão previstos, para o período 2013-2017, investimentos de US$147,5 bi nas atividades de exploração e produção no Brasil, o que representa 62,3% dos investimentos programados pela companhia.

Com os programas de Otimização de Custos Operacionais, de Aumento da Eficiência Operacional nas Unidades de Operações da Bacia de Campos e do Rio de Janeiro, e o Programa de Redução de Custos de Poços, a Companhia prevê alcançar, em 2017, uma produção de 2 milhões 750 mil barris de petróleo por dia (bpd), o que representa um acréscimo de 750 mil bpd a mais do que é produzido hoje.

Com agências online e o Blog Fatos e Dados

Conheça o Plano de Negócios da Petrobras
petrobras_1904 

 

 

 

 

 

 

 

Leia mais: 

Pré-sal, Petrobras e o futuro do Brasil – Sérgio Gabrielli 
 

Graça Foster: ilação para desqualificar Petrobras não se sustenta 
 

Brasil será o 2º em aumento de produção de petróleo

Leia também