Cartão BNDES bate recorde de R$ 1 bi em crédito a microempresários

O volume de operações atingiu 71,2 mil transações. Os materiais de construção civil estão entre os itens mais financiados pelo Cartão BNDES.

:: Da redação4 de novembro de 2013 17:17

Cartão BNDES bate recorde de R$ 1 bi em crédito a microempresários

:: Da redação4 de novembro de 2013

Dirigido exclusivamente aos microempresários, pequenas e médias empresas e profissionais liberais, o Cartão BNDES bateu um recorde em outubro ao atingir um volume de empréstimos de R$ 1 bilhão, com 71,2 mil transações realizadas. A operação que fechou essa marca simbólica aconteceu no município de Cerejeiras, em Rondônia, onde o cliente, uma microempresa do setor de comércio, utilizou R$ 4,4 mil do limite de crédito do Cartão BNDES para comprar pisos de cerâmica.

Os materiais de construção civil estão entre os itens mais financiados pelo Cartão BNDES, segundo o banco. Em outubro, por exemplo, os produtos dessa categoria representaram 11,5% do valor financiado e 17,6% do número de operações.

Criado há onze anos, mais de 2,5 milhões de operações já foram realizadas pelo Cartão BNDES, num valor equivalente a R$ 36,6 bilhões. Para este ano, a previsão é que as operações superem a marca de R$ 10 bilhões. Em 2003, os desembolsos, ou seja, os empréstimos feitos por esse instrumento indutor do desenvolvimento, situavam-se em pouco mais de R$ 1 milhão.

Com o incentivo aos microempreendedores e pela facilidade de acesso e utilização, o Cartão BNDES já foi emitido para 611,8 mil empresas de pequeno e médio porte, cobrindo 97% dos municípios brasileiros. A emissão do cartão pode ser feita pelo Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, BRDE, Caixa, Itaú e Sicoob, sob as bandeiras Cabal, Elo, Mastercard e Visa. O limite de crédito é de até R$ 1 milhão por cartão e o valor médio das operações é de R$ 14,3 mil por compra.

Na última semana, no Palácio do Planalto, durante as comemorações dos 10 anos do programa Bolsa Família, o ex-presidente Lula disse ao presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, que o banco devia emprestar mais para as pessoas, no caso os micro, pequenos e médios empresários, porque o retorno é bem maior. Como se vê, o resultado de outubro do Cartão BNDES confirma que o investimento nesse segmento traz retorno não apenas financeiro ao banco, mas um retorno social. “Muito dinheiro nas mãos de poucos gera a especulação, mas pouco dinheiro nas mãos de muitos faz a economia andar. E você, Luciano Coutinho, deve sempre olhar para esses empreendedores”, recomendou Lula ao presidente do BNDES.

O resultado de hoje do Cartão BNDES, que deve ser comemorado, é apenas a confirmação da pujança de um setor que cresce, gera emprego e contribui para o desenvolvimento e redução das desigualdades sociais no País.

Com informações da Agência Brasil e do BNDES

 

 

Leia também