Com Bolsonaro

Amazônia perdeu área maior que 300 mil campos de futebol

Em seis meses, floresta teve mais de 2.200 km² desmatados; falta de compromisso com meio ambiente prejudica o Brasil e ameaça acordo do Mercosul com UE
:: Agência PT de Notícias3 de julho de 2019 09:31

Amazônia perdeu área maior que 300 mil campos de futebol

:: Agência PT de Notícias3 de julho de 2019

Jair Bolsonaro (PSL) está colocando em risco o futuro da Amazônia e do comércio brasileiro com outros países. Com o aval dado ao desmatamento, em seis meses, a floresta já perdeu 2.273,6 km², o equivalente a 318 mil campos de futebol. Os números devem aumentar ainda mais nos próximos meses, quando o bioma entra em seu período seco, o que tende a intensificar a atividade das madeireiras, segundo especialistas ouvidos por O Globo.

O papel de Bolsonaro no desastre é inegável. Ele desautoriza publicamente agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), responsáveis por fiscalizar e punir responsáveis pelo desmatamento ilegal. O órgão também tem sido desmontado pelo Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que é condenado por improbidade administrativa em questão ambiental.

O resultado disso é que, em junho, o desmatamento aumentou 60% com relação ao mesmo período do ano passado. No mês, a floresta perdeu o equivalente a mais de 100 mil campos de futebol. Os números são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que tem sido atacado por Ricardo Salles ao mostrar o aumento da destruição na floresta.

Entre abril e maio, o desflorestamento já havia aumentado de 247,2 km² para 735,8 km², um salto de 197,5%.

Em entrevista ao jornal O Globo, Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima, ressalta que o desmatamento tem sido favorecido pelo discurso do governo. “Se você diz que vai tirar o governo das costas de quem quer produzir, estamos, na verdade, tirando o governo das costas de quem está cometendo crimes ambientais”.

Confira a íntegra da matéria

Leia também