Combate à fome: Brasil é um dos 20 países que cumpriram meta

Meta do Objetivo de Desenvolvimento do Milênio é reduzir pela metade a proporção de pessoas que sofrem de fome. Brasil já recebeu elogio da ONU também pelo combate à desnutrição infantil e pelo programa de alimentação escolar.

:: Da redação13 de junho de 2013 19:05

Combate à fome: Brasil é um dos 20 países que cumpriram meta

:: Da redação13 de junho de 2013

Ainda há 870 milhões de pessoas
subnutridas e milhões de seres humanos
sofrem as conseqüências de deficiências
vitamínicas e minerais

O Brasil e mais 37 países já cumpriram os objetivos de redução da fome, antecipando o prazo fixado em compromisso internacional para 2015, anunciou a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) nesta quarta-feira (12) em Roma. “Esses países estão liderando o caminho para um futuro melhor. São a prova de que com uma forte vontade política, coordenação e cooperação, é possível conseguir soluções rápidas e duradouras para reduzir a fome”, avalia o diretor geral da FAO, José Graziano da Silva.

Graziano pediu a todos os países para manter a dinâmica, apontando para a erradicação total da fome, de acordo com o Desafio Fome Zero, lançado em 2012 pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon. “Globalmente, a fome diminuiu na última década, mas ainda há 870 milhões de pessoas subnutridas e milhões de seres humanos sofrem as conseqüências de deficiências vitamínicas e minerais, incluindo a falta de crescimento da criança”, afirmou o dirigente da FAO.

As histórias de sucesso
O Brasil foi um dos 20 que já cumpriram o Objetivo de Desenvolvimento do Milênio número 1 (ODM-1), reduzindo pela metade a proporção de pessoas que sofrem de fome, segundo critério estabelecido pela comunidade internacional na Assembleia Geral da ONU em 2000.

Além do Brasil, Angola, Argélia, Bangladesh, Benim, Camboja, Camarões, Chile, República Dominicana, Ilhas Fiji, Honduras, Indonésia,

dg_09

  “Com uma forte vontade política, coordenação e
  cooperação, é possível conseguir soluções
  rápidas e duradouras para reduzir a fome”

Jordânia, Malaui, Maldivas, Níger, Nigéria, Panamá, Togo e Uruguai cumpriram o objetivo.

Os países serão homenageados em uma cerimônia de alto nível na sede da FAO, em 16 de junho, coincidindo com a semana que atenda a Conferência da FAO, o órgão máximo da Organização.

Milhões de pessoas ainda sofrem com a fome
Segundo o relatório da FAO “O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2012”, a grande maioria das vítimas da fome, 852 milhões vivem em países em desenvolvimento, cerca de 15 por cento de sua população – enquanto 16 milhões de pessoas estão subnutridas nos países desenvolvidos.

Além disso, apesar da tendência geral e sucessos nacionais, a fome tem vindo a aumentar na África nos últimos anos.

Globalmente, a insegurança alimentar é hoje em grande parte um problema de acesso a recursos e serviços que as famílias precisam para produzir, adquirir ou obter alimentos nutritivos suficiente.

A agricultura desempenha um papel vital para permitir o acesso aos alimentos. Mais de 70 por cento dos pobres vivem em áreas rurais e mais dependem direta ou indiretamente da agricultura para a sua subsistência. O aumento da produtividade agrícola é, portanto, um elemento importante na melhoria do acesso aos alimentos.

O Diretor Geral da FAO disse que foi encorajado por sinais de maior comprometimento de muitos países para acabar com a fome e a desnutrição através da agricultura e do desenvolvimento sustentável, incluindo a participação em programas regionais inspiradas pelo Desafio Fome Zero.

Confira a versão em inglês do relatório da FAO

 

Com informações da FAO

Foto: MDS
 

Leia mais:
Brasil e Peru são destaques na queda da desnutrição

Programa de alimentação escolar do Brasil é referência para a ONU

Leia também