Nenhum direito a menos

Cordel conscientiza sobre reforma da Previdência

"A Peleja do Trabalhador pela Aposentadoria" troca em miúdos, em linguagem acessível, os prejuízos contidos na proposta de Temer
:: Cyntia Campos20 de março de 2017 17:20

Cordel conscientiza sobre reforma da Previdência

:: Cyntia Campos20 de março de 2017

Você já tem ideia de tudo o que vai perder com a reforma da Previdência proposta por Temer? Um aspecto do estrago já está bem claro: homens e mulheres serão igualados e terão que contribuir por 49 anos, para terem o direito à aposentadoria integral apenas após completarem 65 anos de idade. Mas tem mais prejuízos graves no projeto e, para facilitar a compreensão de cada um deles, o escritor Wagner Friaça escreveu uma cartilha, em Literatura de Cordel.

“O texto da reforma da Previdência é muito complexo para que as pessoas compreendam de imediato todas as perdas que sofrerão”, explica Friaça, que é chefe de gabinete da senadora Gleisi Hoffmann (PR), líder da Bancada do PT. Para trocar em miúdos o que estão tramando contra os direitos dos trabalhadores, ele procurou usar uma linguagem criativa. “A arte se presta a esse papel, sobretudo a Literatura de Cordel”.

[blockquote align=”none” author=”Wagner Friaça, cordelista”]O sucesso dessa peleja
Depende só de você
Nenhum direito a menos
Temos muito a fazer[/blockquote]

Em “A Peleja do Trabalhador pela Aposentadoria”, Friaça descreve em versos simples as mudanças que o governo Michel Temer quer fazer nas regras previdenciárias. “Vejam a temeridade/Que atingirá a pensão/Viúva não foi poupada/Que proposta descarada/Todos vão ficar na mão”, diz uma das estrofes do texto, referindo-se à redução de 50% dos benefícios pagos aos cônjuges após a morte do titular da pensão.

A estética do Cordel também está presente nas ilustrações da cartilha, xilogravuras feitas pela filha do escritor, Débora Marilac. O material foi disponibilizado pelos autores a toda a Bancada do PT para facilitar o esclarecimento da população e a mobilização contra a reforma da Previdência. O material está à disposição de sindicatos, associações e indivíduos que queiram se juntar a essa luta e pode ser baixado, em PDF, para impressão.

“O fundamental é que os cidadãos e cidadãs compreendam o tamanho da perda que querem nos impor e possam reagir, para que não haja nenhum direito a menos”, conclui Friaça.

Baixe a cartilha em versão PDF

MULTIMÍDIA

Ouça reportagem da Rádio Democracia sobre o tema:

 

Reprodução autorizada mediante citação do site PT no Senado

Leia também