CPMI Cachoeira ouve prefeito de Palmas na próxima terça-feira

Raul Filho, que pode sofrer processo de expulsão, aparece em vídeo em que Cachoeira promete ajuda ao “projeto de poder”.

:: Da redação6 de julho de 2012 14:03

CPMI Cachoeira ouve prefeito de Palmas na próxima terça-feira

:: Da redação6 de julho de 2012

O prefeito de Palmas, Raul Filho, do PT, falará na próxima terça-feira (10/07) à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga as relações do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos – O Carlinhos Cachoeira. A informação foi confirmada pela secretaria da Comissão. A convocação do prefeito foi aprovada na reunião administrativa desta quinta-feira (05/07).

Ele está sendo chamado para explicar o encontro registrado em vídeo por Carlinhos Cachoeira que foi apresentado pelo Fantástico da Rede Globo, no último domingo (1º/07). Na gravação feita pela quadrilha, Cachoeira oferece ajuda ao “projeto de poder” de Raul Filho, que, na época, encontrava-se em campanha. Em troca, a prefeitura privilegiaria contratações de empresas indicadas por Cachoeira.

Raul Filho transformou-se, assim, no novo personagem da CPMI. Oriundo do PPS, Raul Filho não tem aprovação unânime do PT de Tocantins, que chegou a expulsá-lo do partido no ano passado, em decisão que foi indeferida posteriormente pelo Diretório Nacional do PT. Especula-se que ele sofrerá novo processo de expulsão.

Ação judicial

De acordo com informações divulgadas nesta sexta-feira (06/07), o prefeito de palmas também pode se tornar réu em ação ajuizada pela Procuradoria Regional Eleitoral, do Ministério Público Federal no Tocantins.

O procurador eleitoral Rodrigo Luiz Bernardo dos Santos acusa Raul Filho, sua mulher, a deputada estadual Solange Duailibe (PT), e os empresários Fernando Teixeira Felipe e Antonio Divino Vieira Júnior de falsificação de documentos para justificar suposto empréstimo de R$ 130 mil usados na campanha de Solange em 2010. Ao julgar e reprovar, por unanimidade, as contas de campanha de Solange, o Tribunal Regional Eleitoral (TER) não identificou a origem do dinheiro, correspondente a 32% dos R$ 300.951,99 declarados.

Para justificar os recursos, Solange apresentou confissão de dívida de um empréstimo obtido junto a Felipe, além de Guia de Trânsito Animal da Agência de Defesa Agropecuária do Pará e nota fiscal, na tentativa de provar que o empréstimo fora pago com 260 bezerros pertencentes a Raul Filho. Para o MPF, na documentação apresentada há informações falsas.

Giselle Chassot com informações das agências de notícias

Leia mais:

CPI convoca Pagot, Cavendish, Paulo Preto e Raul Filho

 

Leia também