CPMI do Cachoeira fará balanço de atividades nesta quarta-feira

:: Da redação18 de julho de 2012 11:49

CPMI do Cachoeira fará balanço de atividades nesta quarta-feira

:: Da redação18 de julho de 2012

O presidente da Comissão Parlamentar  Mista de Inquérito (CPMI) que investiga as relações do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira  senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), convocou uma entrevista coletiva para esta quarta-feira (18/07) às 12h, na sala 3 da Ala Alexandre Costa. O objetivo é apresentar um balanço das atividades da comissão no primeiro semestre, desde a instalação, em 25 de abril, até 17 de julho, último dia antes do início do recesso parlamentar.

Nessa terça-feira, o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro, também falou aos jornalistas sobre a CPMI. Ele disse que não vê necessidade de uma nova convocação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), apesar das recentes – e novas – denúncias publicadas pela imprensa nos últimos dias.

Segundo Pinheiro, o caso deve ser remetido à Procuradoria Geral da República e é a Assembleia Legislativa de Goiás que deve tomar qualquer decisão sobre se o tucano deve ou não ser afastado de seu cargo. “Nós aplicamos, aqui no Senado, o remédio que entendemos que deveria ser utilizado no caso do senador Demóstenes Torres”, lembrou o líder. O ex-senador e líder Democrata perdeu seu mandato na última quarta-feira (11/07) por ter ferido o decoro parlamentar.

Entre as principais acusações contra Demóstenes, pesou o fato de que o senador mantinha relações além do limite de amizade com Cachoeira, tendo inclusive colocado seu mandato a serviço da organização criminosa.

A CPMI  não vai interromper suas atividades no recesso do Congresso. Vital do Rêgo já informou que, entre 18 e 31 de julho, os integrantes do colegiado podem trabalhar na análise dos documentos recebidos, uma vez que o expediente na sala-cofre prosseguirá normalmente.

Também  durante o recesso, haverá treinamento de assessores para o acesso aos dados sigilosos originários das quebras dos sigilos bancário e telefônico.  Enquanto isso, a secretaria da comissão continuará recebendo normalmente as informações solicitadas a órgãos públicos e instituições privadas.

A última reunião administrativa da CPI mista foi realizada em 5 de julho, quando foram aprovados requerimentos para a convocação de cinco pessoas: o ex-presidente da Delta, Fernando Cavendish; o ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot; o empresário Adir Assad; a ex-mulher de Cachoeira, Andréa Aprígio;  o engenheiro Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa, sociedade de economia mista responsável pela manutenção das estradas paulistas; e o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), que foi ouvido pelos parlamentares no último dia 10.

Durante os 14 dias de recesso, o prazo regimental de 180 dias de funcionamento da comissão é suspenso. Se não houver prorrogação dos trabalhos, a data limite para o encerramento da CPI é 4 de novembro. Já está agenda uma reunião administrativa para 2 de agosto.

Giselle Chassot, com informações da Agência Senado
 

Leia mais:
Pinheiro: PSDB brinca com a inteligência alheia

Leia também