Desafio é trazer fábrica de plástico verde

:: Da redação3 de novembro de 2011 17:54

Desafio é trazer fábrica de plástico verde

:: Da redação3 de novembro de 2011

Para Delcídio, próximo desafio da classe política é convencer a direção do Grupo Odebrecht a instalar a fábrica de polietileno no MS.

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) acredita que o próximo desafio da classe política é convencer a direção do Grupo Odebrecht a instalar em Mato Grosso do Sul a fábrica de polietileno que a empresa está planejando para os próximos anos.

“Com essa unidade inaugurada hoje chega a três o número de usinas da ETH Bioenergia em nosso estado. Só aqui a empresa vai produzir 360 milhões de litros de etanol por safra, fora o que é processado nas usinas de Rio Brilhante e Nova Alvorada do Sul. Por isso, nada mais justo do que trazer para o nosso estado a planta de polietileno planejada pela empresa, que vai produzir a matéria prima necessária a fabricar inúmeros materiais plásticos biodegradáveis, com tecnologia de ponta, gerando mais empregos, riquezas e preservando o meio ambiente”, afirmou o senador nesta quinta-feira, 3 de novembro, durante a inauguração da usina do município de Costa Rica, próximo a divisa de Mato Grosso do Sul com Goiás.

A nova unidade da ETH Bioenergia – empresa do Grupo Odebrecht – recebeu investimentos de R$ 1 bilhão nas áreas agrícola e industrial e tem capacidade instalada para processar 3,8 milhões de toneladas de cana por safra, produzir 360 milhões de litros de etanol e gerar cerda 100 MW de energia, através do processamento do bagaço da cana. A usina de Costa Rica gera 1.500 empregos diretos e 3.000 indiretos.

Delcídio destacou a importância dos investimentos da empresa no estado.

“Fiz questão de estar presente a inauguração desse empreendimento , que além de gerar empregos e riquezas, simboliza a diversificação da economia do nosso estado e mostra o caminho da modernidade que Mato Grosso do Sul precisa trilhar. A usina de Costa Rica é uma das mais modernas do mundo e produz energia a partir da biomassa da cana, ou seja , energia limpa, que é o que todos os países desenvolvidos estão buscando, com o Brasil seguindo essa tendência”, afirmou o senador. “Dentro desta mesma linha, o próximo passo é utilizar o etanol produzido aqui para, através de um processo químico do qual uma outra empresa do grupo, a Brasken, detém a tecnologia, produzir o eteno, o polietileno e , posteriormente, o plástico, que tem milhares de utilidades. Tudo isso com uma grande vantagem. O plástico feito a partir do álcool é biodegradável e não traz para o meio ambiente os mesmos danos que aquele feito a partir do petróleo. É o chamado plástico verde, limpo, que não polui”, explicou.

O senador pediu também que a ETH “olhe com carinho” o pedido feito pelas lideranças de Paranaíba para que a empresa construa no município uma usina de açúcar e álcool.

A ETH Bioenergia atua na produção e comercialização de álcool, energia elétrica e açúcar, destinados ao mercado interno e internacional. A empresa quer se tornar líder na produção de etanol e energia partir da biomassa e para isso projeta uma capacidade de moagem de 40 milhões de toneladas já em 2012.

A empresa está investindo em todo o país R$ 8 bilhões para levar suas nove unidades à capacidade máxima de produção, produzindo 3 bilhões de litros de etanol e gerando 2.700 Gwh de energia elétrica a partir do ano que vem. Atualmente a empresa possui sete Unidades em operação em São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. A de Costa Rica será a oitava usina e a nona vai ser inaugurada ainda este ano em Água Emendada, Goiás.

Assessoria de Imprensa do senador Delcídio do Amaral

Leia também