Dilma: Brasil é o país que mais tem feito pela redução do efeito estufa

:: Da redação24 de setembro de 2013 22:50

Dilma: Brasil é o país que mais tem feito pela redução do efeito estufa

:: Da redação24 de setembro de 2013

 

“Estamos empenhados em levar adiante esse processo
de transformação do Brasil tendo a sustentabilidade
ambiental como uma condição imprescindível”

O processo de transformação do Brasil tem a sustentabilidade ambiental como condição imprescindível, afirmou a presidenta Dilma Rousseff nesta terça-feira (24), na abertura do Foro Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável “Building the future we want: from Rio+20 to the Post-2015 Development Agenda” (Construindo o futuro que queremos: do Rio +20 à Agenda de Desenvolvimento pós-2015).

“Estamos empenhados em levar adiante esse processo de transformação do Brasil tendo a sustentabilidade ambiental como uma condição imprescindível. Esse compromisso com a proteção ambiental se reflete, por exemplo, no fato de sermos, de acordo com as Nações Unidas, o país que mais tem feito pela redução das emissões de gás de efeito estufa”, disse a presidenta.

Dilma afirmou que o compromisso expresso na atuação do Brasil na Rio+20 está assentado em políticas domésticas que dão suporte e legitimam a ação externa do país, tais como a luta contra o desmatamento, a matriz energética renovável e as práticas sustentáveis na agricultura. Na área social, ela lembrou que o governo brasileiro desenvolveu uma tecnologia de inclusão que se caracteriza por eliminar o intermediário entre o cidadão e o Estado.

“Estamos promovendo o crescimento de nossa economia com avanços na justiça social. Estamos criando empregos formais e assegurando a expansão da renda dos trabalhadores. Estamos distribuindo melhor a renda para pôr fim à miséria e reduzir a pobreza, com políticas voltadas para a melhoria da educação, da saúde, da segurança pública e de todos os serviços públicos fornecidos pelo Estado brasileiro”, afirmou.

Os gases como CO2 e metano causam o aquecimento global, que provoca extremos climáticos em todo o mundo: invernos mais frios, verões mais quentes, chuvas mais constantes e secas mais pronunciadas.

Cerca de 45% da matriz energética brasileira é renovável, produzida por usinas hidrelétricas e por biocombustíveis, enquanto a média internacional é de 13%. Para reduzir as emissões na agricultura e recuperar e proteger florestas o Governo Federal lançou o Projeto Agricultura Sustentável para o Desenvolvimento Rural, que vai beneficiar mais de 3.700 produtores rurais de 70 municípios brasileiros. A Inglaterra já anunciou o investimento de R$ 80 milhões a fundo perdido (o recurso não precisará ser devolvido) no projeto.

A reunião do Foro Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável contou com a participação do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, do novo presidente da Assembleia Geral, John Ashe, e da chefe do Fundo Monetário Internacional, FMI, Christine Lagarde. O Brasil é um dos fundadores dessa articulação, que tem o objetivo de promover mais esforços globais para a realização de políticas sustentáveis na economia. 

Com agências online

Foto: Presidência da República


Leia também