Dilma: Compromisso com uso pacífico da energia nuclear é irreversível

:: Da redação22 de setembro de 2011 18:04

Dilma: Compromisso com uso pacífico da energia nuclear é irreversível

:: Da redação22 de setembro de 2011

Na ONU, a presidenta reitera compromisso constitucional com uso pacífico e seguro da energia

“O acidente de Fukushima reforçou a percepção de que não podemos ser complacentes em matéria de segurança nuclear”, disse a presidenta Dilma Rousseff nesta quinta-feira (22/9), em seu discurso na Reunião de Alto Nível sobre Segurança Nuclear, ocorrida no Plenário da Assembleia Geral da ONU. A presidenta afirmou que o Brasil acompanhou com pesar os eventos de março passado na usina nuclear de Fukushima, no Japão.

“Temos laços profundos de amizade com o povo japonês e abrigamos a maior comunidade de nipodescendentes no exterior”.

Dilma Rousseff lembrou que o assunto do reforço da segurança nuclear foi debatido em recente reunião da Agência Internacional de Energia Atômica. Em sua opinião, é decisiva a ação internacional da Agência no sentido de supervisionar e fornecer parâmetros para condições de segurança mais adequadas. Ela lembrou que em muitas nações a energia nuclear continuará a ser a alternativa para atender as necessidades energéticas.

“O compromisso do Brasil com o uso pacífico e seguro da energia nuclear é irreversível e está expresso em nossa Constituição Federal.”

Na opinião da presidenta, o desarmamento nuclear é fundamental para a segurança e é o pilar do Tratado de Não Proliferação Nuclear, “cuja observância as potências nucleares devem ao mundo”. A presidenta combateu, em seu discurso, a posse de arsenais de armas de destruição em massa, já que cria direitos exclusivos e se traduz em uma concepção assimétrica e ultrapassada de mundo. Além disso, segundo ela, os armamentos nucleares são ineficazes e inadequados para lidar com as ameaças à segurança no século XXI. “Um mundo em que armas nucleares são aceitas será sempre um mundo inseguro”, disse.

A presidenta Dilma citou o exemplo da América Latina e do Caribe, onde é proibido o uso não-pacífico da energia nuclear. “Somos, portanto, uma das maiores áreas do mundo livres de armas nucleares e modelo para a paz e para a segurança mundiais. (…) Nossa segurança nuclear é marcada por uma obra de grande dimensão, uma obra de diplomacia regional única: a Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade de Controle de Materiais Nucleares, que, esse ano, completa 20 anos”.

Blog do Planalto

Ouça o discurso da presidenta, acesse: http://blog.planalto.gov.br/wp-content/uploads/2011/09/prd0208.mp3

Para ler a íntegra do discurso, clique aqui

Leia também