Dilma enfatiza prioridade no transporte urbano com mais R$ 143 bilhões

:: Da redação10 de fevereiro de 2014 15:22

Dilma enfatiza prioridade no transporte urbano com mais R$ 143 bilhões

:: Da redação10 de fevereiro de 2014

No “Café com a Presidenta”,  Dilma confirmou projetos para metrôs de nove capitais 

Dos R$ 143 bilhões que o Governo Federal destinou para a mobilidade urbana, em parceria como estados e municípios, R$ 33 bilhões serão destinados para a construção de metrôs em nove cidades brasileiras. De acordo com a presidenta Dilma Rousseff, o transporte sobre os trilhos é a prioridade do projeto de mobilidade urbana do Executivo.
No programa semanal Café com a Presidenta, Dilma informou que o investimento contempla mais de 3,5 mil quilômetros em obras de transporte coletivo, que incluem metrôs, trens urbanos, monotrilhos, veículos leves sobre trilhos (VLTs), além dos corredores de ônibus. “Começamos com R$ 93 bilhões e fomos aumentando os recursos em mais de R$ 50 bilhões, a partir do Pacto da Mobilidade Urbana que eu anunciei em junho do ano passado”, disse.

Segundo a presidenta, o governo está priorizando o transporte sobre trilhos porque é um transporte de alta capacidade. “E, ao mesmo tempo, garante o deslocamento dos passageiros de forma muito mais rápida e segura. Não há interrupção pelo trânsito, por exemplo. É um transporte direto. Quanto maior a cidade ou quanto maior a região metropolitana, mais o transporte sobre trilho é importante.”
Dilma destacou que foram construídos ou estão em implantação em seu governo metrôs em nove cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Fortaleza, Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte. “Só para fazer o metrô, o governo federal está colocando R$ 33 bilhões em investimentos. Outros R$ 15,5 bilhões são a contrapartida dos estados e municípios. E, além desses recursos, as empresas privadas também participam dos investimentos”, detalhou.

A presidenta também lembrou que o governo está investindo em VLTs, monotrilhos, trens urbanos e aeromóveis (trens suspensos). “São R$ 14 bilhões para essas obras e, muitas delas, serão integradas aos metrôs. Isso porque integração é a palavra-chave do modelo de transporte coletivo que queremos para as nossas cidades.”
O prazo de financiamento das obras de transporte coletivo é 30 anos, com juros de 5,5% ao ano. Estados e municípios têm quatro anos de carência, ou seja, só começam a pagar quatro anos depois.

Com informações do Blog do Planalto, Portal Brasil e Agência Brasil

Leia mais:

Dilma anuncia R$ 6,2 bilhões para mobilidade urbana em Minas

Humberto destaca visita de Dilma a Pernambuco

 

 

 

Leia também