Dilma: Governo investe para promover interligação ferroviária em todo país

:: Da redação2 de maio de 2012 14:17

Dilma: Governo investe para promover interligação ferroviária em todo país

:: Da redação2 de maio de 2012

A presidenta Dilma Rousseff afirmou na última terça-feira (01/05), na coluna Conversa com a Presidenta, que o governo está realizando investimentos no setor ferroviário para promover a interligação de todas as regiões do país. Segundo ela, entre 1986 e 2002, foram construídos apenas 215 km de linhas férreas. Nos últimos nove anos, foram entregues 753 km.

“Hoje, temos mais de 3 mil km de ferrovias em construção. Queremos, finalmente, promover uma interligação ferroviária entre todas as regiões do país. Além dos trechos em obras, foram concluídos projetos para mais de 3,7 mil km e estão em fase de elaboração estudos e projetos de ferrovias que somam mais 3,5 mil km. Com a ampliação da malha que estamos promovendo, haverá uma participação muito mais efetiva das ferrovias na matriz de transportes do Brasil”, explicou a presidenta.

Microempresas

Durante o programa, Dilma também abordou a ampliação dos limites de faturamento para Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. De acordo com a presidenta, a ampliação dos limites abre as portas do Simples e do Microempreendedor Individual (MEI) para novas empresas e permite que empresas e empreendedores já participantes possam crescer sem o risco de perder os benefícios.

“Para os microempreendedores individuais, o limite subiu de R$ 36 mil de faturamento anual para R$ 60 mil; para as microempresas, de R$ 240 mil para R$ 360 mil; e para as empresas de pequeno porte, o limite foi ampliado de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões”, disse. Dilma também explicou que, para estimular as exportações das microempresas e empresas de pequeno porte, o limite de faturamento pode até dobrar – passando para R$ 4,8 milhões e R$ 7,2 milhões – se o faturamento adicional vier de vendas para o exterior.

Parceria

A presidenta Dilma Rousseff, ainda explicou que o Governo, através do Sistema Único de Saúde (SUS), mantém uma parceria “muito produtiva” com vários hospitais privados filantrópicos. Com isso, a saúde pública se beneficia com a transferência de nas tecnologias e boas experiências em gestão.

“Esse tipo de parceria existe com dezenas de hospitais. São esses hospitais de excelência que estão nos apoiando, por exemplo, no processo de melhoria da gestão e do atendimento dos principais prontos-socorros públicos do Brasil. Essa associação entre o poder público e o setor privado filantrópico é fundamental para qualificar cada vez mais os serviços prestados pelo SUS, com benefícios para toda a população brasileira”, salientou.

Leia também