Dilma: “indústria naval volta a ser orgulho para o Brasil”

No programa semanal de rádio, presidenta destaca política de conteúdo nacional

:: Da redação22 de abril de 2014 16:18

Dilma: “indústria naval volta a ser orgulho para o Brasil”

:: Da redação22 de abril de 2014

Compras da Petrobras geram
emprego e crescimento industrial
no Brasil (EBC)


A presidenta Dilma Rousseff lembrou, durante o Programa Café com a Presidenta da última segunda-feira (21), a inauguração do navio Dragão do Mar e o batismo do petroleiro Henrique Dias, realizados na semana passada. Dilma lembrou os esforços do governo federal pela retomada da indústria naval que, hoje, é forte, pujante e emprega quase 80 mil empregados em estaleiros no Nordeste, Sudeste e Sul do País. E o número deve aumentar para alcançar, em 2017, 100 mil trabalhadores.

“Nós decidimos que as compras da Petrobras deveriam ser feitas preferencialmente em indústrias que produzissem no Brasil para gerar, aqui, crescimento industrial e emprego. O nosso lema é: fazer no Brasil porque temos capacidade para fazer. Assim, o que a Petrobras comprava lá fora passou a ser feito aqui no Brasil por trabalhadores brasileiros. E isso se chama política de conteúdo nacional”, disse. “Com essa decisão, além da riqueza do petróleo, o Brasil passou a ter uma indústria naval poderosa, desenvolveu uma cadeia de fornecedores”, emendou.

Dilma lembrou que, em 2003, eram apenas 7.465 funcionários no setor, que estava desaparecendo. Mas para atender a demanda, nos últimos dez anos entraram em funcionamento dez estaleiros no País. Segundo a presidenta, as perspectivas para a indústria naval com a exploração do pré-sal são fantásticas e estão fazendo com que muitas empresas estrangeiras se instalem no Brasil. Serão necessários, até 2020, 88 navios, 198 barcos de apoio, 28 sondas de perfuração e 31 plataformas.

“No ano passado, a construção naval brasileira entregou volume recorde de navios e plataformas de petróleo. Foram sete plataformas de produção, dois navios petroleiros de grande porte, 21 navios de apoio marítimo, dez rebocadores portuários e 44 barcaças de transporte”, elencou a presidenta. Só em 2014, de acordo com a presidenta, encontram-se na fase de construção ou contratados para serem construídas aqui no Brasil, outras 18 plataformas, 28 sondas de perfuração e 43 navios-tanque.

Com informações do Blog do Planalto

Leia mais:

Dilma rompe o silêncio – e acusa manipulação nos números da Petrobras

Com números, Graça Foster fundamenta compra de Pasadena

Leia também