Dilma: Programa de microcrédito emprestou R$ 12,5 bilhões

Do total de 9,2 milhões de operações repassados a pequenos investidores, 61% foram feitas por mulheres.

:: Da redação10 de março de 2014 13:10

Dilma: Programa de microcrédito emprestou R$ 12,5 bilhões

:: Da redação10 de março de 2014

A presidenta Dilma Rousseff disse, nesta segunda-feira (10), que o Programa Crescer, que concede microcrédito produtivo orientado para pequenos empreendedores, já emprestou R$ 12,5 bilhões em dois anos e meio. A presidenta explicou que o programa oferece crédito fácil e barato para quem quer começar ou expandir sua empresa e tem financiamento médio de R$ 1.350.

“Esses recursos significam a melhoria, o crescimento e a sobrevivência de um pequeno negócio. Cada um dos empréstimos do Crescer é uma alavanca para os nossos pequenos empresários e é mais desenvolvimento para o Brasil”, disse.

Dilma ressaltou que as mulheres são a maior parte dos clientes do programa. Do total de 9,2 milhões de operações, 5,7 milhões, ou seja, 61% foram feitas por mulheres. No programa semanal Café com a Presidenta, ela informou que o crédito do Crescer tem juros de apenas 5% ao ano e é oferecido para todos os empresários com faturamento de até R$ 120 mil por ano. O limite de financiamento é de R$ 15 mil e o empreendedor ainda conta com o apoio de um agente de crédito. No ano passado, o crédito do Crescer aumentou 66%.

De acordo com Dilma, mais de 80% das operações de crédito são contratadas por pessoas físicas e com um prazo médio de seis meses. Assim, a maior parte do dinheiro é para o curto prazo, ou seja, para o capital de giro do dia a dia. “O nosso maior desafio é estimular o uso do crédito do Crescer para os investimentos, por exemplo, para a compra de máquinas e equipamentos, que vão melhorar a produtividade e o lucro das micro e das pequenas empresas, e ampliar a renda dos pequenos e microempresários”, destacou.

A presidenta explicou que, para conceder crédito por um prazo mais longo, os bancos exigem uma garantia, como, por exemplo, um imóvel, e o empreendedor individual ou o pequeno empresário muitas vezes não tem essa garantia. “Nós sabemos que esse pequeno empreendedor é bom pagador e pode ser coberto, por exemplo, por um fundo de aval. Por isso, os bancos públicos que oferecem o crédito do Crescer estão avaliando mecanismos necessários para estabelecer seja o aval solidário, seja o aval tradicional, e facilitar o acesso ao crédito para o investimento.” O crédito está disponível no Banco do Nordeste, na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil, no Banco da Amazônia, no Banrisul, no Banestes e na Agência de Fomento do Paraná.

Os recursos também estão disponíveis para aqueles que aderiram ao Programa do Microempreendedor Individual (MEI) que hoje conta com mais de 3,8 milhões de pessoas. Segundo a presidenta, essa marca foi alcançada depois que o governo aumentou para R$ 60 mil o valor do faturamento daqueles que quiserem aderir ao MEI e reduziu a contribuição para a Previdência de 11% para 5% do salário mínimo. “Muita gente está aproveitando essa oportunidade, porque mais de R$ 1 bilhão do Crescer foram emprestados aos microempreendedores individuais em menos de três anos”.

Com informações da Agência Brasil

Saiba mais sobre o programa Crescer

Leia também