Humberto Costa

Eleição foi fraudada e chapa de Bolsonaro tem de ser punida

Notícias revelaram que uma empresa espanhola foi contratada por empresários brasileiros para disparar mensagens em massa no WhatsApp a favor do então candidato Jair Bolsonaro
:: Assessoria do senador Humberto Costa19 de junho de 2019 10:06

Eleição foi fraudada e chapa de Bolsonaro tem de ser punida

:: Assessoria do senador Humberto Costa19 de junho de 2019

Após a revelação de que uma empresa espanhola responsável por disparar mensagens no WhatsApp foi contratada por empresários brasileiros para disparos em massa a favor do então candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), afirmou que a vitória do capitão reformado feriu a legislação eleitoral e que a fraude deveria ser punida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“As eleições foram maculadas. A democracia brasileira foi capturada por um processo fraudulento. Essas ferramentas de automatização, como essas de disparo em massa, são proibidas. Eram 20 mil disparos por hora no WhatsApp, conforme o PT já havia denunciado ao TSE há mais de oito meses”, declarou.

Para Humberto, o relato do empresário espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps, em áudio conseguido pelo jornal Folha de S.Paulo, de que “empresas, açougues, lavadoras de carros e fábricas” brasileiros compraram seu software para mandar mensagens em massa no Brasil a favor de Bolsonaro, é uma prova robusta e grave de que a disputa presidencial de 2018 foi irregular.

Ele lembrou que o TSE analisa uma ação movida pelo PT contra as fake news da campanha do PSL desde o fim do ano passado, mas que até hoje o tribunal não se manifestou sobre o assunto.

“As evidências de fraude nas últimas eleições só aumentam. Hoje, a revelação do proprietário dessa empresa espanhola só comprova isso. Foram feitos disparos em massa de mensagens políticas a favor de Bolsonaro. A legislação brasileira autoriza que campanhas oficiais façam apenas contratação para impulsionamento de conteúdo e determina a proibição de financiamento de campanha eleitoral por empresas, direta ou indiretamente”, ressaltou.

Humberto acredita que houve um brutal desrespeito às normas da disputa e os empresários brasileiros que fizeram indiretamente essa doação à campanha de Bolsonaro cometeram um crime.

“Essas mensagens políticas espalhavam fraudes e mentiras sobre Fernando Haddad, de que ele, quando ministro da Educação, teria criado o kit gay e outras coisas mais, como aquela história de mamadeira, coisa que faz até mal a gente falar. Essas fake news foram responsáveis pela vitória do presidente da República que aí está”, argumentou.

Confira a íntegra da matéria

Leia também