Em 10 anos, destinação dos royalties será de R$ 112 bilhões

:: Da redação19 de agosto de 2013 18:39

Em 10 anos, destinação dos royalties será de R$ 112 bilhões

:: Da redação19 de agosto de 2013

“Ao garantir esses recursos para a educação, estamos dando um passo decisivo para realizar o compromisso com o presente e com o futuro do país”

 

 

Pronta para ser sancionada, a nova lei dos royalties – que destina 75% dos recursos dos royalties do petróleo para investimentos em educação e 25% para a saúde – foi saudada pela presidenta Dilma Rousseff. Representou uma “vitória histórica”. Ela informou que vai sancionar o texto nos próximos dias “para garantir que os recursos comecem a chegar o quanto antes às creches, às escolas, aos hospitais e aos postos de saúde de todo o nosso país”. A lei também destina 50% do Fundo Social para a educação.

No programa Café com a Presidenta, Dilma enfatizou a importância da educação para que o Brasil entre na economia do conhecimento, dominando as invenções científicas e as aplicações tecnológicas. Ele destacou que nenhuma nação do mundo chegou ao patamar de país desenvolvido, sem investir muito em educação e ressaltou que a aprovação do texto legal está em sintonia com a vontade da sociedade brasileira.

“Ao garantir esses recursos para a educação, estamos dando um passo decisivo para realizar o compromisso com o presente e com o futuro do país e deixar um grande legado às novas gerações de brasileiros e de brasileiras”, disse.

Royalties

De cada barril de petróleo que as empresas exploram, entre 10% a 15% são divididos entre o Governo Federal, os estados e os municípios. Com a nova lei, a parte dos royalties que cabe à União será gasta na educação e na saúde, o que representa R$112 bilhões a mais para financiar os dois setores nos próximos dez anos.

“Estes R$112 bilhões são apenas os recursos decorrentes do petróleo que já foi descoberto ou que já está sendo extraído. Como nós vamos continuar a descobrir e a explorar cada vez mais, este valor pode subir na medida em que vamos abrindo novas licitações, colocando novas áreas para a exploração do petróleo”, disse. Em outubro, será licitado o Campo de Libra a 160 quilômetros do litoral do Rio de Janeiro. Essa camada do pré-sal foi descoberta pela Petrobras em 2006 e tem produção estimada entre 8 e 12 bilhões de barris de petróleo.

“Só o Campo de Libra contribuirá para que o saldo do Fundo esteja entre R$ 360 bilhões e R$ 736 bilhões nos próximos 35 anos”, disse.

 

Clique aqui para ler a íntegra da entrevista 

Leia também