Educação

Em condições precárias, Uerj decide adiar início das aulas

Reitoria da instituição alega desde condições precárias de manutenção a atrasos de salário para justificar a medida
:: Carlos Mota1 de agosto de 2017 12:44

Em condições precárias, Uerj decide adiar início das aulas

:: Carlos Mota1 de agosto de 2017

A reitoria da Universidade do Estado do Rio de Janeiro informou que não iniciará o semestre letivo nesta terça-feira (1º), conforme previsto no calendário acadêmico. De acordo com representantes da universidade, o motivo são as condições de manutenção precárias e o atraso no pagamento de salários dos servidores administrativos e professores.

A decisão foi tomada após a reitoria ouvir o Fórum de Diretores das Universidades Acadêmicas, de acordo com nota divulgada pela Uerj. Ainda de acordo com a instituição, não houve qualquer progresso nas negociações com o governo do Estado do Rio de Janeiro sobre o caso nas últimas semanas.

Na sua página no Facebook, o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ), criticou o descaso do governo do Rio de Janeiro com a educação local. “É muito triste o que está acontecendo no RJ. Uma universidade referência internacional fechar as portas por não ter a mínima condição de funcionamento é um crime de lesa-pátria. PMDB, a culpa é sua!”, disse o senador, se referindo à gestão do peemedebista Luiz Fernando Pezão, governador do Estado.

Entre os motivos listados para não iniciar o semestre letivo, está o não pagamento das empresas terceirizadas, contratadas por meio de licitação pública, que atendem à universidade. “Limpeza, vigilância e coleta de lixo estão restritas, além de o Restaurante Universitário permanecer fechado”, critica a reitoria.

Outro problema grave é o atraso de salários de servidores técnico-administrativos e docentes da instituição, que não recebem desde maio. “No primeiro semestre de 2017, em consideração aos nossos estudantes e à população fluminense, trabalhamos enfrentando todas essas adversidades que, a cada dia, se acentuam. Reconhecemos que, neste momento, não podemos mais aceitar tal sacrifício de nossos servidores e de suas famílias”, diz a nota da Uerj.

A universidade diz ainda que voltará a se manifestar caso surjam “novos fatos”. Os representantes da instituição dizem ainda que adiar o início das aulas não é parar a Uerj: “Nossa universidade permanece ABERTA e VIVA!”.

Leia também