Encontro com as mulheres eleitas irá debater modo petista de governar

:: Da redação7 de fevereiro de 2013 19:16

Encontro com as mulheres eleitas irá debater modo petista de governar

:: Da redação7 de fevereiro de 2013

Fortalecimento político e econômico é tema do mês da mulher no Congresso Nacional

Senadoras do PT dedicam seus mandatos
à valorização da mulher

A luta pelo fortalecimento da mulher na política e na economia será o tema das comemorações do Dia Internacional da Mulher no Congresso Nacional. A decisão foi tomada na última quarta-feira (6), em reunião das bancadas femininas da Câmara e do Senado, com a presença das senadoras petistas Ângela Portela (RR) e Ana Rita (ES). As parlamentares também vão reivindicar a seus pares que, em março, seja dada prioridade à aprovação de projetos de interesse das mulheres nas duas Casas.

O Dia Internacional da Mulher é comemorado em 8 de março e, ao longo de todo mês, serão realizadas atividades alusivas à data, como exposições e uma sessão solene, entre outros eventos, com o lema “Somos mulheres e políticas, nós podemos – Reforma Política e Empoderamento Político e Econômico”.

Mulheres petistas

A Secretaria Nacional de Mulheres do Partido dos Trabalhadores vai realizar no mês de março, em Brasília, o Encontro Nacional de Mulheres Eleitas pelo PT. O encontro será realizado nos dias 15 e 16 de março, a partir das 9h e deverá reunir prefeitas, vice-prefeitas e vereadoras eleitas em 2012.

O evento, que integra as comemorações do 8 de Março, será uma oportunidade para que aas eleitas discutam a importância do planejamento na administração pública, aprofundem o debate sobre o modo petista de governar e legislar e conheçam os programas do Governo Federal que podem ser desenvolvidos pelos municípios. 

As inscrições podem ser feitas pelo site do PT Nacional, até 25 de fevereiro.

A Secretaria Nacional de Mulheres do PT (SNMPT) é a instância da direção nacional responsável por organizar as discussões e ações das mulheres no partido na perspectiva feminista e socialista. Além disso, a SNMPT articula com os governos petistas e os parlamentares, em todas as esferas do poder, a promoção, criação e implementação de políticas públicas para as mulheres.

A Secretaria também busca estimular a participação política das petistas, tanto na disputa de cargos eletivos quando na formulação de propostas e na militância cotidiana. A partir do impulso dado às mulheres pela eleição da presidenta Dilma, em 2010 — um exemplo de onde as mulheres podem chegar na política — a SNMPT trabalhou, nas eleições 2012, para incentivar candidaturas femininas para as prefeituras e Câmaras de Vereadores.

“As eleições municipais representam um momento importante para consolidar avanços e conquistas das mulheres. O debate sobre a realidade de cada cidade, com os cidadãos e cidadãs que nelas vivem permite identificar seus problemas, apresentar soluções e projetos e políticas para quem quer vê-la crescer com sustentabilidade e igualdade”, afirmava um documento aprovado pela SNMPT no início do ano passado. As mulheres atenderam a esse chamado e agora, eleitas, contarão com a instância partidária para apoiar os mandatos conquistados por elas nas urnas.

A chamada “mini-reforma eleitoral”, realizada em 2009, garantiu a aprovação de dispositivos que estimulam a participação feminina na política, como a obrigatoriedade de que cada partido ou coligação tenha pelo menos 30% de mulheres entre os postulantes a cargos proporcionais, a obrigatoriedade de aplicação de pelo menos 5% dos recursos do Fundo Partidário em programas de promoção e difusão da participação política das mulheres, sob pena de sanções, e a garantia de que pelo menos 10% do tempo de cada agremiação no horário eleitoral gratuito sejam destinados à divulgação de candidaturas femininas.

Com informações do PT Nacional e do PT da Câmara

Leia Mais:

Ana Rita destaca pioneirismo do PT no estímulo à atuação feminina

Cargo na direção é reconhecimento à mulher na política, diz Ângela

 

Leia também