Fies já beneficiou 140 mil estudantes em 2012, diz presidenta Dilma

Hoje, 500 mil universitários estudando graças ao Fies. Em 2010 o Fundo passou por mudanças que melhoraram as condições do financiamento estudantil.

 

:: Da redação9 de abril de 2012 13:00

Fies já beneficiou 140 mil estudantes em 2012, diz presidenta Dilma

:: Da redação9 de abril de 2012

 

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) já beneficiou, desde o início deste ano, mais de 140 mil estudantes, que contrataram o financiamento para pagar as mensalidades de um curso universitário em instituições privadas. No programa Café com a Presidenta, transmitido nesta segunda-feira (09/04), a presidenta Dilma Rousseff disse que o Fies é um importante instrumento da política de democratização do acesso ao ensino superior.

“Ao financiar cursos em universidades privadas, o Fies permite que milhares de jovens iniciem seus estudos ou que continuem a estudar mesmo quando não podem mais pagar as mensalidades. Só de janeiro deste ano até agora, 140 mil estudantes conseguiram o financiamento. Isso significa que nós vamos atingir quase o mesmo número de contratos, em quatro meses, do que tudo que fizemos no ano passado”, disse a presidenta.

Ela acrescentou que, atualmente, há 500 mil universitários estudando graças ao Fies. E lembrou que em 2010 o Fundo passou por mudanças que melhoraram as condições do financiamento estudantil.

“Em 2010, ainda no governo do presidente Lula, o Fies passou por uma grande reformulação. A taxa de juros diminuiu de 9% para 3,4% ao ano, e o prazo de carência foi ampliado de seis meses para um ano e meio. Assim, o estudante tem um tempo maior, depois de formado, para começar a pagar as parcelas do financiamento. Depois desse período de carência, o estudante tem um prazo equivalente a três vezes a duração do curso, e mais 12 meses para pagar o financiamento”, afirmou Dilma.

A presidenta explicou ainda que existem condições especiais no Fies para futuros professores e médicos que atuarem no setor público.

“Se, depois de formados, os professores e médicos, que usaram o Fies, forem dar aulas em escolas públicas ou atender pacientes do Sistema Único de Saúde, em pouco menos de oito anos e meio, se continuarem trabalhando no setor público, o débito com o Fies vai ser quitado sem que eles tenham que pagar nenhum real pelo financiamento”, disse.

O Fies, a expansão das universidades federais e do ProUni por todo o Brasil, ressaltou a presidenta, são instrumentos importantes do governo para proporcionar o acesso à educação superior a todos que se interessarem.

“Todas essas ações são fundamentais, porque é com oportunidades na educação, na profissionalização e no mercado de trabalho que vamos construir um país muito mais próspero e mais justo”, finalizou a presidenta.

Blog do Planalto

Leia também