governo irresonsável

Gastos com ida à Israel têm que ser restituídos, defende Humberto

Para Humberto Costa, “é afrontoso que autoridades se desloquem em busca de um ‘remédio milagroso”
:: Assessoria do senador Humberto Costa10 de março de 2021 14:32

Gastos com ida à Israel têm que ser restituídos, defende Humberto

:: Assessoria do senador Humberto Costa10 de março de 2021

Presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, Humberto Costa (PT-PE) pediu ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União a abertura de investigação sobre a viagem de uma delegação oficial a Israel em busca de um spray contra a covid-19. O périplo da comitiva, sem qualquer resultado prático para o descontrole da pandemia no Brasil, foi todo custeado com dinheiro público.

Chefiada pelo chanceler Ernesto Araújo, a excursão teve sua circulação limitada logo na chegada em razão de o Brasil ser considerado por diversos países no mundo como um celeiro de novas cepas do vírus e, por isso, alvo de barreiras sanitárias. A delegação, que terá poucos compromissos oficiais na agenda, conta, também, com a presença de outros membros do governo federal e do deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente.

Essa viagem é um escárnio, uma agressão às famílias dos mais de 265 mil mortos. Enquanto Bolsonaro e seu ministro da Saúde demonstram que perderam o controle da pandemia, que logo estará matando mais de duas mil pessoas por dia, o governo gasta dinheiro numa farra dessa natureza, sem qualquer resultado prático, para fazer pirotecnia sobre centenas de milhares de cadáveres. Que missão científica é essa da qual não participa um único cientista? É uma cusparada na cara do povo brasileiro.”

A delegação pretende, especialmente, conhecer o centro de estudos Ichvilon, onde está em curso a pesquisa da droga EXO-CD24, em fase preliminar de teste em casos de covid-19, mas sem qualquer resultado ainda atestado pela comunidade científica. Segundo Bolsonaro, no entanto, “parece um produto milagroso”.

Para Humberto, que é ex-ministro da Saúde, “é afrontoso que, em um momento de colapso nacional nos sistemas de saúde, autoridades se desloquem em uma dispendiosa viagem internacional em busca de um ‘remédio milagroso’”.

Confira a íntegra da matéria

Leia também