Gleisi anuncia ações contra deputado que chamou professora de ‘biscate’

:: Da redação18 de maio de 2015 21:02

Gleisi anuncia ações contra deputado que chamou professora de ‘biscate’

:: Da redação18 de maio de 2015

Gleisi: os homens não podem mais ofender as mulheres e não haver consequências quanto a issoA agressão sofrida pela professora e doutoranda em Educação Adriana Sobanski – chamada de “biscate” por um deputado tucano, no Facebook –, não ficará sem resposta. A garantia foi dada pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-RS). “Estou tomando providências”, garantiu ela durante discurso ao plenário, nesta segunda-feira (18).

Gleisi fará uma representação contra Rossoni, em conjunto com outras parlamentares, à Procuradoria da Mulher na Câmara dos Deputados, para que sejam tomadas as providências cabíveis em relação a este comportamento. Além da divulgação de uma nota de repúdio, a senadora informou ainda que apresentará um projeto para que o Código Penal, no seu artigo 140, possa abarcar a injúria por gênero – assim como reconhece a discriminação racial como agravente.

“Não podem mais alguns homens ficarem chamando as mulheres de vacas, de vadias, de biscate e achar que isso é normal, que não há conseqüência penal alguma em relação a isso”, disse a parlamentar.

O ataque à professora foi feito pelo perfil do deputado Valdir Rossoni (PSDB-PR) na rede social. Em mensagem privada (“inbox”) pelo Facebook, Adriana foi surpreendida com o texto que dizia: “Pela (sic) seu desrespeito imagino q vc faz e sua casa vai procurar sua turma biscate”. Apesar da péssima redação e da ausência de pontuação, a mensagem não deixa dúvidas. Uma imagem da conversa tem sido reproduzida nas redes sociais desde sábado. Até a publicação desta reportagem, o perfil oficial do deputado tucano, informado em seu site, estava fora do ar.

Segundo Adriana, o caso teria começado na sexta-feira (15), quando ela fez comentários em postagens no perfil do deputado na rede social. Em uma delas, o parlamentar disse sentir “vergonha” da presidenta Dilma Rousseff por causa da situação do País. A professora respondeu que Rossoni deveria ver primeiro a situação do Paraná.

“Quando vemos situação dessas, dói na nossa alma. Principalmente quando é dirigido a uma mulher e pior quando parte de uma autoridade”, disse Gleisi Hoffmann. Para ela, a falta de argumentos do parlamentar para debater com a professora levou à situação lamentável.

“Não há como aceitarmos isso. E estamos aqui para lutar, para enfrentar exatamente a violência contra a mulher. E a violência pode ser por palavras, por ações, por atos, por omissão e, em todas elas, queremos fazer esse enfrentamento”, garantiu a senadora.

 

Leia mais:

Senadoras querem avançar mais, após consolidação do Feminicídio como crime hediondo

Leia também