Gleisi condena pessimismo e chama senadores à responsabilidade

:: Da redação4 de agosto de 2015 20:23

Gleisi condena pessimismo e chama senadores à responsabilidade

:: Da redação4 de agosto de 2015

Gleisi: Nós não estamos numa crise estrutural, estamos passando por um momento de dificuldade“Apesar da crise”, novo jargão dos jornalões brasileiros, vem acompanhando os títulos das notícias positivas em relação à economia nacional – estas geralmente escondidas nas páginas menos nobres das publicações. Para a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o momento não é o de persistir nesse tipo de pessimismo, mas de adotar as “medidas necessárias” para que o Brasil supere as dificuldades econômicas.

“Nós não estamos numa crise estrutural, estamos passando por um momento de dificuldade. Se nós não tivermos o entusiasmo para investir e para consumir, ficando com discurso de paralisia, aí nós vamos entrar na crise”, disse a parlamentar, em discurso ao plenário nesta terça-feira (4).

“Portanto, faço um apelo a esse Congresso, a esse Senado que volta do recesso, que tenhamos responsabilidade com o País. O que nós votarmos aqui achando que é contrário à presidenta, contrário ao PT, contrário ao Governo que está aí, na verdade, é contrário ao Brasil”, emendou, se referindo aos projetos que serão analisados neste segundo semestre, tanto de ajuste fiscal propostos pelo Executivo quanto os que aumentam as despesas federais.

Gleisi lembrou notícias veiculadas na imprensa, nos últimos meses, que mostram dados positivos, especialmente no principal jornal econômico do País, o Valor. “Ontem, a manchete do Valor Econômico era de que as empresas, apesar da crise, estavam crescendo em receita de dois dígitos”, lembrou.

A parlamentar acrescentou que um “país em profunda crise estrutural não traz investimentos estrangeiros”. Também o Valor, recentemente, trouxe que o Brasil recebeu US$ 3,924 bilhões em investimentos estrangeiros diretos em junho deste ano, superando a expectativa para o período. O montante conseguiu cobrir integralmente o déficit em conta corrente do mês, que somou US$ 3,345 bilhões.

De acordo com a senadora, o bombardeio de notícias negativas faz com que a população não esteja conseguindo “olhar a realidade” para saber distinguir o que é uma dificuldade econômica do que efetivamente uma crise institucional na economia.

“Quem não lembra da época em que tivemos é a retirada do dinheiro da poupança? Quem não lembra que nós tínhamos 30 milhões de pessoas no desemprego? Devíamos para o Fundo Monetário Internacional, andávamos de pires na mão e não tínhamos reservas externas. Isso era crise. Hoje temos dificuldades econômicas, mas temos resposta e saídas para a nossa economia”, argumentou.

O “apesar da crise”, segundo Gleisi, vem sendo o novo “imagina na Copa”. Este último vinha sendo usado como prognóstico de que a Copa do Mundo de 2014 no Brasil seria um desastre. No entanto, o evento esportivo foi considerado um dos melhores já realizados na história do torneio.

“Que o ‘apesar da crise’, que está sendo divulgado como o ‘imagina na Copa’, não passe disso. Não passe de um jargão negativo que a história vai mostrar exatamente o seu tamanho. Mas, para isso, é preciso que nós, os agentes políticos, tenhamos otimismo, esperança, mas, principalmente, responsabilidade com o futuro brasileiro”, finalizou Gleisi.

Leia mais:

Gleisi diz que exagero do noticiário sobre crise alimenta complexo vira lata

Gleisi rebate pessimistas e lembra que Brasil não vive crise sem precedentes

 

 

 

 

Leia também