Áudio

Gleisi: defenderemos o direito de o povo votar em quem quiser

:: Da redação31 de janeiro de 2018 15:08

Gleisi: defenderemos o direito de o povo votar em quem quiser

:: Da redação31 de janeiro de 2018

Se o player não tocar, clique aqui

Em entrevista à Rádio Democracia, a senadora Gleisi Hoffmann defende a candidatura do ex-presidente Lula e avisa: “estamos mobilizados pela democracia, nós e os movimentos sociais. O pacto democrático feito com todos os setores da sociedade na Constituição de 1988 foi quebrado, o pacto pelo voto universal e eleições livres. Então, nossa luta é para que o povo brasileiro tenha o direito de votar em quem quiser”. Confira:

 

Jerry Oliveira: Senadora, como a senhora avalia essa condenação do ex-presidente Lula?

Gleisi: Uma condenação que não está baseada em provas, não tem crime e , portanto, é inconstitucional, ilegal, uma condenação de cunho político, de perseguição ao presidente Lula.

Chega a ser um escárnio, nós termos no país, a condenação de Lula e Temer continuar presidente da República e Aécio Neves, senador.

Jerry: A grande mídia está dizendo que o PT e alguns movimentos sociais estão pregando a desobediência civil. Afinal, quem está realmente pregando a desobediência civil no Brasil?

Gleisi: Quem está hoje governando o Brasil, é quem está rasgando a Constituição Federal. O que estamos vivendo hoje, Jerry, é o rompimento do pacto democrático feito na Constituição Federal de 1988, aonde, para redemocratizar o Brasil, nós acordamos com toda a sociedade brasileira que o voto seria universal e as eleições seriam democráticas. E, desde que a (ex-presidenta) Dilma foi tirada violentamente do poder, rasgando-se a Constituição Federal, que estamos quebrando esse pacto. E agora condenam o Lula porque não querem que ele participe do processo eleitoral, ou seja, estão dizendo para milhões de eleitores: ‘vocês não vão ter o direito de expressar o seu voto’. Isso é quebra do pacto. E aí, essa gente que está governando desse jeito, levando o país pra um abismo, retirando os direitos das pessoas, não aceita que nós levantemos a voz, que nós radicalizemos a luta, que nós façamos o enfrentamento.

Gleisi: O PT reafirma a candidatura de Lula, porque Lula não é mais um candidato do PT, Lula é um candidato de parcela expressiva do povo brasileiro, e cabe ao PT protegê-lo, defendê-lo e viabilizar sua candidatura. Qualquer outro movimento, nós estaríamos indo contra a vontade majoritária do eleitor e da eleitora brasileiros, que tem se manifestado pró-Lula durante todo esse processo, mesmo com toda desconstrução do presidente.

Jerry: A gente tem visto aí várias retiradas de direitos da classe trabalhadora, após a posse de Michel Temer. Uma delas foi a questão da terceirização, agora a PEC da limitação de gastos, também a Reforma Trabalhista, e vem aí a Reforma da Previdência. Existe um consórcio entre as forças do grande capital internacional, no sentido de evitar a eleição do Lula, para que voltem os direitos que foram retirados após a posse de Michel Temer?

Gleisi: Com certeza. O liberalismo está atuando de maneira deslavada no Brasil. Eles sabem que Lula, estando no processo eleitoral, vai ganhar a eleição. E, ganhando a eleição, Lula não vai permitir que esses retrocessos continuem prejudicando o brasileiro. E o congelamento do orçamento continue impedindo o governo de ter dinheiro para comprar, por exemplo, a vacina para combater a febre amarela. Não vai permitir que os trabalhadores sejam colocados em uma situação de precariedade de trabalho e não tenham proteção social.

O Lula jamais permitiria isso. Então, o medo que eles tem de Lula é esse, de Lula participar das eleições, e eles terem esse revés nas conquistas que tiveram, conquistas para um grupo pequeno de pessoas no Brasil, para a classe dominante, para aqueles que já tem dinheiro. É uma vergonha o que estamos vivendo hoje, em termos de retrocesso ao povo brasileiro.

Jerry: A senhora que tem contato direto com o ex-Presidente Lula, por ser uma senadora de destaque no cenário e, também, obviamente, presidente do Partido dos Trabalhadores, que é partido fundado pelo ex-Presidente Lula. Ele, que participou de vários momentos da vida política do país, uma delas foi as greves do ABC e, depois, participou da construção de um projeto de desenvolvimento para o Brasil e, agora, está fazendo o enfrentamento ao poder judiciário. Como é que está o presidente Lula nesse enfrentamento? Ele está tranquilo? Ele se preocupa? Enfim, como está a condição psicológica do ex-presidente Lula para esse enfrentamento?

Gleisi: O presidente Lula é uma liderança popular, é um estadista, coloca à frente de tudo a luta pelo povo brasileiro. Ele está com a consciência tranquila, com a consciência dos justos, sabe a causa que tem, vai lutar para continuar nesse processo, porque ele acha que tem um dever para com o povo brasileiro. Então, ele tem tranquilidade, sim, de enfrentar esse processo todo e está com energia e vontade de fazê-lo.

Jerry: Saiu na Folha de São Paulo, ou Estadão, críticas à atuação dos advogados do ex-presidente Lula. Como é que a senadora avalia essas críticas da grande mídia?

Gleisi: Isso é incrível, o que tentam fazer, de colocar a defesa do presidente Lula contra a direção do PT, de tentar desqualificar uma defesa que foi muito boa. Eu quero aqui, reiterar, a nossa confiança, o nosso apoio e nossa admiração, pela defesa, pela garra que tiveram o dr. Cristiano Zanin e Dra. Valesca, em todo esse processo. Não há nenhuma crítica por parte da direção nacional do PT, acreditamos na estratégia jurídica que está sendo feita e cabe a eles qual a melhor forma de atuar em relação aos tribunais superiores. Quero reiterar nosso apoio e nossa confiança a eles.

Jerry: Qual o papel da mídia no processo de Lula,  porque vimos muitos depoimentos de Lula ao juiz Sérgio Moro, muitas matérias da grande mídia. A senhora acha que o papel da mídia em relação ao caso tríplex ajudou na condenação de Lula? E como você avalia?  a mídia é realmente um partido político no Brasil, com exceção das Rádios Comunitárias, é claro?

Gleisi: A grande mídia é, com certeza, veja a postura da Globo, que já tem um candidato, que está lançando, que ´o Huck, e está tentando fazer um programa de governo, que é “O Brasil que a gente quer”, até plagiando um projeto nosso, do PT, que é “O Brasil que o povo quer”. Isso não tenho dúvida. E ela é responsável em grande parte, pela condenação de Lula, e pela sustentação desse processo da Lava Jato, fora dos padrões da legalidade. Ela dá guarita ao Moro, a essas decisões, todo dia coloca o presidente Lula para achincalhá-lo, não trata os demais como trata ao Lula, ou seja, a grande mídia está ligada ao liberalismo, ao capital financeiro, e tem o interesse que o Lula seja varrido da história política do país. Nós não vamos permitir isso, vai ter reação, estamos mobilizados, o PT, os movimentos sociais, vamos fazer esse enfrentamento.

Jerry: Senadora, Rádio Comunitária derruba avião, ou tubarão?

Gleisi: (risos) Rádio Comunitária tem que derrubar tubarão, ou seja, fazer o contraponto dessa mídia golpista, que só tem uma versão, que entra nas casas das pessoas tentando homogeneizar a opinião. Nós temos que ter alternativas e as Rádios Comunitárias hoje, perto da comunidade, tem que ser um canal livre e democrático para levar a notícia como ela é.

Leia também