Gleisi diz que o governo precisa melhorar a comunicação

Gleisi: "Nem tudo que acontece é manipulação, mas há uma campanha de desconstrução de imagem em curso"A oscilação negativa nos índices de popularidade da presidenta Dilma Rousseff, apontada por pesquisa do Instituto DataFolha, no último final de semana, é resultado de um processo de desconstrução de imagem do governo levado a cabo pela mídia conservadora. A avaliação é da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), quem em pronunciamento ao plenário, na tarde desta segunda-feira (9), alertou para a necessidade de melhorar a comunicação do governo, permitindo que a população tome conhecimento dos avanços conquistados em 12 anos de administração petista, inclusive no combate à corrupção.

:: Da redação10 de fevereiro de 2015 01:46

Gleisi diz que o governo precisa melhorar a comunicação

:: Da redação10 de fevereiro de 2015

Gleisi citou como exemplo a propalada “crise econômica”, tão citada pelos tucanos, lembrando o cenário sombrio herdado pelo presidente Lula, após oito anos de governo FHC. Enquanto hoje o PSDB enxerga o caos em uma inflação de 6% ao ano e taxas de desemprego entre 4% e 5%, esquecem que FHC entregou o País a Lula com inflação acima de 12% ao ano, com juros acima de 25%, com desemprego acima de 13% e um risco-país acima de dois mil pontos. “Foi Lula quem salvou o Plano Real, com as medidas que adotou após a posse. Fernando Henrique Cardoso deixou o governo com baixíssimos índices de popularidade”.

“Nem tudo que acontece é manipulação da informação”, destaca Gleisi. “Reconheço os problemas, os erros e a necessidade enfrentá-los de cabeça erguida e de forma clara, com as medidas corretas, como a Presidenta está fazendo”. A senadora, porém, cobra melhorias na comunicação do governo.

Gleisi defende uma reflexão do PT e do governo sobre as denúncias de irregularidades na Petrobras e sobre as críticas às medidas de ajuste econômico anunciadas no início desse segundo mandato. Ela reconhece que as notícias criam descontentamento na população, mas critica os vazamentos seletivos.  “A presidenta Dilma é uma das pessoas mais sérias que conheço. Se assim não fosse, não tínhamos a Polícia Federal atuando com isenção, nem o Ministério Público, nem o juiz [Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato] sofreu qualquer pressão. Tudo está sendo feito de maneira clara, embora a imprensa esteja noticiando uma parte. Tenho certeza que tem muita gente envolvia, que não é do PT e não é do governo”, alertou.

Leia também