Governo não resolve vazio deixado por médicos cubanos em áreas indígenas

Números evidenciam a dificuldade de permanência dos médicos brasileiros nessas localidades
:: Brasil de Fato21 de janeiro de 2019 11:46

Governo não resolve vazio deixado por médicos cubanos em áreas indígenas

:: Brasil de Fato21 de janeiro de 2019

 

Luiz Otávio é médico, formado em Manaus (AM), especialista em Saúde da Família e Comunidade. Desde 2016, trabalhava como supervisor acadêmico do programa Mais Médicos (PMM) em João Pessoa, na Paraíba. Com o fim do convênio entre Cuba, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e o Brasil, em novembro de 2018, o médico arrumou as malas e foi para o distrito Yanomami do estado de Roraima, determinado a salvar vidas.

Leia também