Humberto acompanha vistoria em obras da Adutora do Pajeú

Ao lado do ministro da Integração, o senador reuniu-se com 16 prefeitos da região.

:: Da redação9 de janeiro de 2013 13:22

Humberto acompanha vistoria em obras da Adutora do Pajeú

:: Da redação9 de janeiro de 2013

humberto2

O senador Humberto Costa (PT-PE) acompanhou o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, em vistoria às obras da Adutora do Pajeú em Floresta e se reuniu, em Serra Talhada, com 16 prefeitos da região. O objetivo do encontro foi informar o andamento das obras e apresentar aos gestores locais as ações do Governo Federal para mitigar os efeitos da estiagem.

“A Adutora do Pajeú é uma obra que está em pleno vapor. Na primeira etapa esta obra vai levar água do São Francisco até Afogados da Ingazeira. Visitei a Estação Elevatória 2, onde já chegou a água. E em breve a água chegará à Estação Elevatória 3 e à Serra Talhada”, afirmou o ministro.

O ritmo das obras que levarão a água até Afogados da Ingazeira está acelerado. De acordo com o cronograma do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (DNOCS), o município será abastecido até o final de julho. “Antes disso, em maio, a água já terá chegado a Flores”, garantiu o ministro, que completou: “é muito bom, num momento de estiagem como este, ver uma obra estruturante como a Adutora do Pajeú ser executada para beneficiar cidades sertanejas”.

Humberto visitou a região na última segunda-feira. Na reunião com os prefeitos, em Serra Talhada, o principal assunto foram as intervenções que se darão a partir do funcionamento da Adutora em Afogados da Ingazeira, como o ramal que levará água para o município de Santa Cruz da Baixa Verde e para Triunfo, e a parceria com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que vai abastecer São José do Egito até o final do ano.

Infraestrutura

A vazão total da Adutora do Pajeú é de 830,7 litros por segundo e o investimento total em todas as etapas da obra será de R$ 500 milhões, com recursos oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Dividida em duas etapas, a Adutora do Pajeú é uma obra voltada para o abastecimento humano. Após sua conclusão, mais de 500 mil pessoas serão beneficiadas.

A Etapa I estará entre os municípios pernambucanos de Floresta e Afogados da Ingazeira. Já a Etapa II abrange o sertão pernambucano e segue para a Paraíba. Este sistema adutor terá cerca de 600 km e vai contemplar 32 localidades, entre eles, 20 municípios de Pernambuco (Floresta, Betânia, Carnaubeira da Penha, Serra Talhada, Calumbi, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Flores, Carnaíba, Quixaba, Afogados da Ingazeira, Iguaraci, Ingazeira, Solidão, Tabira, Tuparetama, Santa Terezinha, São José do Egito, Itapetim e Brejinho).

Além destes, ainda três distritos (Canaã, em Triunfo; Tupanaci, em Mirandiba; e Riacho do Meio, em São José do Egito) – e o povoado de Nazaré do Pico, em Floresta. Todos eles inseridos na bacia do rio Pajeú. A Paraíba tem também outros oito municípios beneficiados pela Adutora do Pajeú (Princesa Isabel, Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Teixeira e Cacimbas).

Com informações da assessoria do senado Humberto Costa e do Ministério da Integração Nacional

Leia também