Humberto Costa vai coordenar campanha em Pernambuco

Líder do PT no Senado diz que trabalho da militância é mais importante do que propaganda de rádio e tevêO líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE) vai coordenar a campanha da presidenta Dilma Rousseff pela reeleição em Pernambuco. Ele participou, nessa terça-feira (8) de uma reunião com todos os coordenadores regionais e o presidente do partido, Rui Falcão. Na saída, Humberto disse aos jornalistas que quando as agendas da candidata forem casadas com as da presidenta (aquelas em que ela viaja como presidente e como candidata), as despesas serão custeadas pelo PT, para evitar acusações de uso eleitoral da máquina pública.

:: Da redação9 de julho de 2014 19:21

Humberto Costa vai coordenar campanha em Pernambuco

:: Da redação9 de julho de 2014

“Não haverá nenhum tipo de pagamento dessas despesas por parte do Governo […] Para evitar qualquer tipo de tentativa de colocar que houve uso da máquina. A lei tem muitas dubiedades, aí nós vamos ter mais cuidado”, afirmou o senador.

O encontro dos coordenadores petistas reuniu representantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e tratou de diretrizes da campanha à reeleição, com foco nas questões  políticas, jurídicas, de comunicação e infraestrutura.

 O presidente do partido, Rui Falcão, disse que a presidenta deve iniciar os eventos como candidata a partir do dia 20 de julho. Do dia 14 a 19 deste mês, ela vai participar, em Fortaleza, de encontro com representantes dos Brics, grupo de países formado por Brasil, China, Rússia, Índia e África do Sul.

“Diferentemente da campanha passada,  em que ela era só candidata, agora ela é presidenta e candidata, e predominantemente é vital que ela continue a dirigir o País no rumo que ele vem tomando”, disse.

Mobilização

Para Humberto, o  mais importante nessa campanha é a força da militância. “O tempo de rádio e TV não substituirá jamais a ação da nossa militância. Em todas as grandes eleições do PT, foram os nossos militantes que, em campo, fizeram a diferença do jogo em nosso favor. É o enfrentamento político que a estimula”, afirmou. O partido aposta que a mobilização, além de ajudar a presidenta e os demais candidatos aos governos estaduais, poderá criar uma base parlamentar ampliada e consistente para o segundo governo Dilma.

Composta pelo PT, PMDB e outros sete partidos, a coligação Com a força do povo, formada em torno do nome de Dilma Rousseff, já registrou o programa de governo mínimo, que, agora, será aprofundado pelas legendas aliadas e núcleos setoriais.

“Para o Brasil seguir mudando, nossa campanha será propositiva e terá foco em quatro bases importantíssimas para um novo ciclo histórico do nosso país: as reformas política, urbana, federativa e de serviços públicos.Vamos debater com a população porque esses são eixos fundamentais ao nosso futuro”, esclareceu Humberto.

Leia também