Humberto: oposição mudou em relação ao Mais Médicos

Líder do PT citou o pré-candidato à presidência, Aécio Neves, que disse que manterá o programa

:: Da redação30 de abril de 2014 18:42

Humberto: oposição mudou em relação ao Mais Médicos

:: Da redação30 de abril de 2014

Humberto: depois de convulsão
quase raivosa da oposição,
Aécio disse que deseja manter
o Mais Médicos

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), discursou, nesta quarta-feira (30), em plenário, sobre a mudança de posicionamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência da República, em relação ao Programa Mais Médicos.

O parlamentar pernambucano lembrou que, aproximadamente um ano atrás, quando a presidenta Dilma Rousseff tomou a decisão corajosa de assegurar atenção básica em saúde em todos os municípios do Brasil que desejassem participar do programa, houve quase uma convulsão raivosa de alguns setores do País. De acordo com Humberto, o Mais Médicos foi bombardeado por todos os lados, quando o que estava em jogo, realmente, era a saúde da população.

“Lembro aqui do pré-candidato do PSDB à presidência, o senador Aécio Neves, que chegou a dizer que o programa era uma violência sem tamanho, que as medidas eram marqueteiras e paliativas e que tinham até mesmo um viés autoritário. Mas, curiosamente, cinco meses depois, quando lançou seu esboço de programa de governo, o pré-candidato tucano disse que desejaria manter o Mais Médicos, caso fosse eleito”, ressaltou Humberto.

Para Humberto, a mudança de postura do senador oposicionista se justifica na medida em que se observou que mais de 80% da população aprova o programa. O líder do PT considera também que aqueles que atacavam o Mais Médicos estavam se posicionando na contramão da direção para onde queria ir o Brasil.

“Perdida a luta contra a opinião pública, que se posicionou ao lado de um programa de imenso alcance social, esses setores se recolheram e, hoje, o Mais Médicos não é mais assunto para eles”, enfatizou.

O programa
O senador Humberto Costa ainda apontou que, neste mês, o governo federal está levando mais 3,5 mil profissionais para ampliar o atendimento em atenção básica do País. O reforço desse grupo, para o senador, garante o cumprimento, já no quarto ciclo do programa, da meta estabelecida pelo governo federal de enviar 13.235 médicos a todos os municípios brasileiros interessados.

O líder ainda salientou que a quinta etapa do Mais Médicos aumentará para mais de 14 mil o número de profissionais levados pelo programa às populações localizadas em regiões mais vulneráveis do Brasil. “Hoje, a atuação desses profissionais já impacta na assistência de 45 milhões de pessoas. Quando estiver concluído o quinto ciclo, chegaremos a quase 50 milhões de brasileiras e brasileiros atendidos, o que significa dizer que o Mais Médicos abraçará um quarto de toda a nossa população”, enfatizou.

Resultados

Humberto relatou que, pelo fato de a maioria das pessoas atendidas pelo programa não ter tido a possibilidade de ter passado, ao menos, por uma consulta médica na vida, resultados sensíveis começam a aparecer. Entre eles, de acordo com o Ministério da Saúde, nos municípios que receberam profissionais, em novembro de 2013, houve um crescimento de 27,3% no atendimento a pessoas com hipertensão em comparação com o mês de junho do mesmo ano.

Nesse mesmo período, registrou-se aumento de 14,4% na assistência a pessoas com diabetes, de 13,2% no número de pacientes em acompanhamento e de 10,3% no agendamento de consultas.

“Eu gostaria de parabenizar a visão e a firmeza da presidenta Dilma, e de todos que sustentaram o duro embate aqui no Congresso, pela decisão de instituir o Mais Médicos. Estou convicto de que o Mais Médicos é um dos passos mais significativos dados na história do Brasil em favor de todos os brasileiros. Os resultados já são visíveis. E o reconhecimento e o apoio da população a eles também o são”, concluiu.

Leia mais:

Mais Médicos: atendimento a hipertensos no SUS cresce 27% em cinco meses

 

14 milhões de brasileiros já foram atendidos pelo Mais Médicos

Leia também