Humberto pedirá ao STF documentos da Operação Monte Carlo

Logo depois de aceitar a relatoria do caso Demóstenes no Conselho de Ética, o senador Humberto Costa anunciou como primeira pedida a solicitação junto ao STF dos documentos da operação da PF que investigou o contraventor Carlinhos Cachoeira e aponta o senador goiano como um dos elos da rede criminosa. No Senado, Demóstenes afirmou ter apenas relações amistosas com Cachoeira mas, vazamentos da Operação Monte Carlos revelam mais do que isso.

:: Da redação13 de abril de 2012 12:57

Humberto pedirá ao STF documentos da Operação Monte Carlo

:: Da redação13 de abril de 2012

Em sua primeira coletiva como relator do Conselho de Ética do Senado, que investiga se houve quebra de decoro parlamentar por parte do senador Demóstenes Torres (sem partido – GO), Humberto Costa (PT-PE) afiançou que irá requisitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) os documentos oriundos da operação Monte Carlo, que apontou a ligação de Demóstenes com o chefe da quadrilha de jogos ilegais Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. “Vou procurar o relator do caso no Supremo para pedir acesso aos documentos sigilosos que compõem esse processo. E sendo uma solicitação do Conselho de Ética não creio que o STF deixará de nos enviar esse material”, disse.

demostenes_etica1204O pedido de informações junto ao Supremo deverá constar no plano de atividades que será entregue por Humberto na próxima reunião do Conselho, marcada para terça-feira (17/03). Neste cronograma também deverá constar a entrega da defesa do parlamentar goiano no dia 25 de abril – prazo estabelecido, conforme o Regimento Interno, após dez dias úteis da notificação do senador. A partir daí, o relator terá mais cinco dias úteis para analisar os argumentos apresentados e marcar uma reunião para que Demóstenes apresente oralmente sua defesa.

Humberto observou que conduzirá as atividades do Conselho seguindo rigorosamente o regimento do Senado e a Constituição Federal. Segundo ele, “essa é a melhor maneira de proceder, para evitar que o trabalho sofra questionamentos posteriores por quem quer que seja”.

A escolha do petista para a função de relator ocorreu por meio de sorteio. O nome de Humberto foi definido após a recusa dos senadores Lobão Filho (PMDB-MA), Gim Argelo (PTB-DF), Cyro Nogueira (PP-PI), Romero Jucá (PMDB-RR) e Renan Calheiros (PMDB-AL). Na avaliação do presidente do Conselho de Ética, Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), a designação de Humberto Costa foi acertada por causa das qualidades inerentes a personalidade do parlamentar. “Ele [Humberto] é um homem justo, calmo e equilibrado”, poderou.

Quem é Humberto?
Humberto Sérgio Costa Lima é médico e jornalista. Começou sua atuação política na época da ditadura militar, quando atuou no movimento que criou o Partido dos Trabalhadores em Pernambuco.

O primeiro cargo público foi o de deputado estadual, em 1990. Depois, elegeu-se deputado federal, época em que foi apontado pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) como um dos mais influentes do Congresso.  Em 1998, tentou eleger-se senador por Pernambuco, sem sucesso, mas dois anos depois obteve o maior número de votos já alcançado por um vereador em Recife, com 27.815 votos – marca que, dez anos depois, ainda não havia sido superada.

Um ano depois, é convocado pelo então prefeito eleito de Recife, João Paulo, para assumir a Secretaria de Saúde, onde realizaria uma série de inovações, como a implantação do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Recife, a ampliação do Programa Saúde da Família e a criação dos Programas Academia da Cidade, voltado à prática de ginástica e esportes em instalações municipais, além dos programas de Saúde Ambiental e Volta para Casa, este último destinado à ressocialização de pessoas que viviam isoladas em hospícios – obras que mudaram para sempre o perfil da assistência médica na capital pernambucana.

Seu desempenho em Pernambuco chamou a atenção do presidente Lula, que o convidou para assumir o Ministério da Saúde no início do seu primeiro mandato. No Ministério, Humberto transformou o SAMU num programa nacional e implantou dois dos mais importantes projetos de Lula para a Saúde: o Brasil Sorridente e a Farmácia Popular.

Atingido injustamente por denúncias no período pré-eleitoral – que mais tarde foram desmentidas, com absolvição unânime dos 14 desembargadores do Tribunal Regional Federal de Pernambuco – Humberto Costa não teve sucesso na eleição ao governo do Estado em 2006. E em 2010, candidatou-se ao Senado, em indicação aprovada por consenso da bancada, e elegeu-se como o primeiro senador do PT por Pernambuco.

Leia mais:

Humberto: é preciso dar resposta à sociedade

Após desistências, Humberto Costa aceita ser o relator do caso Demóstenes

Demóstenes tenta constranger Conselho de Ética – mas não consegue

Leia também