Humberto: PT espera nomes da oposição para começar CPI

Diante da omissão dos tucanos, presidente do Senado cumprirá regimento interno e fará indicações à revelia

:: Da redação13 de maio de 2014 19:01

Humberto: PT espera nomes da oposição para começar CPI

:: Da redação13 de maio de 2014

Líder do PT defende apuração serena pelo
Senado, sem palco para disputas políticas

O PSDB ainda não indicou, até esta terça-feira (13), os nomes para integrar a CPI do Senado que investigará a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela Petrobras. Isso mesmo depois de os oposicionistas terem recorrido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para conseguir que uma comissão se dedicasse exclusivamente ao tema. E, conforme prevê o Regimento Interno do Senado Federal (Risf), caberá ao presidente da casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL) fazer a indicação à revelia dos tucanos.

Como os tucanos mudaram de opinião depois da decisão do STF, desta vez pedindo uma CPI mista, ou seja, formada por deputados e senadores, parte da imprensa junta-se à oposição para cobrar a abertura de uma CPI mista. Na manhã de hoje, depois de aprovar na comissão especial a medida provisória que vai garantir a correção da tabela do imposto de renda, como anunciado em 1º de maio pela presidenta Dilma Rousseff, o líder do PT no Senado, Humberto Costa, concedeu entrevista para rádios e tevês. Confira, abaixo, as perguntas feitas pelas repórteres da tevês Globo e Record:

TV Globo – Líder, há uma pressão muito grande para a instalação da CPI mista porque falta apenas uma assinatura. Pelo regimento já pode começar com 17 e a oposição já diz que tem 16 assinaturas. O senhor acha que a CPI vai começar mesmo sem a indicação do PT, à revelia mesmo?

Humberto – Veja, eu já disse desde o início que a nossa intenção é instalar a CPI do Senado. Hoje é o último dia para que o senador Renan (Calheiros, presidente do Senado e do Congresso Nacional) indique os membros que não foram indicados pela oposição (PSDB). Se ele fizer essa indicação no dia de hoje, amanhã nós começamos a CPI do Senado. Aliás, nós já poderíamos ter até começado porque temos número suficiente de integrantes da comissão definidos pelos partidos do Congresso Nacional. Nós vamos trabalhar na expectativa de instalar a CPI do Senado.

TV Globo – E a CPI mista? Essa coisa da pressão para que essa última assinatura seja feita e comecem os trabalhos, ou lá também…

Humberto – Nós estamos tranquilos e já dissemos que é muito melhor que se faça a apuração pelo Senado e isso vai ser feito de uma maneira serena e com muito menos possibilidade de transformar num palco de disputas políticas. Eu acho que isso é bom para a investigação.

TV Record – Mas, senador, meio que está certo abrir tanto a CPMI quanto a CPI aqui no Senado né. Não é muito inconvergente (sic), incongruente abrir as duas, inclusive financeiramente?

Humberto – Exatamente, por isso mesmo é que nós achamos que deveria ser apenas a CPI do Senado. Ela começou primeiro. O debate todo saiu daqui. O Senado tem legitimidade para fazer essa apuração. E por que não nós apurarmos por aqui?

TV Globo – Se abrir a mista, vocês vão colaborar? Vocês vão dar nomes?

Humberto – Nós vamos aguardar a instalação da CPI no Senado. A partir da instalação da CPI do Senado, o início de seus trabalhos, aí nós vamos avaliar qualquer outra situação que surja.

Marcello Antunes

Leia também