Humberto reclama mais seriedade nas propostas da oposição

Humberto:o candidato desconhece os programas sociais que diz querer mudarAo discursar na tribuna do Senado na tarde desta quarta-feira (23), Humberto recordo que, até pouco tempo atrás, a oposição chamava o Bolsa Família de bolsa esmola, ou bolsa miséria. No entanto, num piscar de olhos, o candidato Aécio Neves mudou seu discurso. “Ele propôs mexer no programas não para melhorar, mas para piorar e de repente mostra um interesse a apenas seis meses das eleições. Não vamos permitir que esse tema seja politizado, porque o Bolsa Família retirou mais de 36 milhões da pobreza extrema. Esse programa é de ascensão social e não eleitoral”, salientou.

:: Da redação28 de julho de 2014 18:39

Humberto reclama mais seriedade nas propostas da oposição

:: Da redação28 de julho de 2014

 

Para Humberto Costa, é nítida a intenção do candidato do PSDB, já que a bancada de seu partido e outros da oposição tentaram com todas as forças derrubar outro projeto inclusivo socialmente: o Prouni, que deu acesso a mais de 1,2 milhão de estudantes pobres ao ensino superior. “Lutamos no Supremo Tribunal Federal para provar que o Prouni era constitucional, para as camadas mais carentes da população. A oposição foi derrotada porque o entendimento da Justiça foi o de que não se poderia negar o direito dos pobres de ingressas numa universidade”, disse.

O novo foco do tucano, agora, é o programa vitorioso do Governo Federal na área de Saúde, o Mais Médicos. Esse programa, lembrou Humberto, foi outro que no início recebeu dura oposição do PSDB e de parte corporativista da classe médica. A oposição foi às rádios, às tevês, aos jornais e até mesmo na Justiça do Trabalho para impedir que esse programa fosse implantado. Perderam e o Mais Médicos atende mais de 50 milhões de brasileiros e brasileiras. “Vejam que depois de derrotados pelos brasileiros que apoiam o programa, os adversários do Brasil recuaram”, observou.

Mas todo o cuidado é pouco com o repentino apoio ao Mais Médicos por Aécio Neves, porque agora seu discurso é o de que irá rever o acordo que garantiu a vinda de médicos cubanos ao Brasil. “Na verdade a proposta conduz ao fim do Mais Médicos, porque o que propõe é sua inviabilização. Temos 14.400 médicos que levam atendimento básico de saúde, nas cidades do interior e nas periferias. Aécio Neves e Eduardo Campos querem assumir uma posição insustentável, querem ficar ao lado do corporativismo, contra os mais de 50 milhões de brasileiros que estão sendo atendidos pelo Mais Médicos”, afirmou.

Humberto Costa lembrou que no período entre janeiro de 2013 e janeiro deste ano, o número de consultas cresceu de maneira exponencial, onde a atenção básica trouxe resultados positivos como a diminuição da mortalidade infantil, materna e dos hipertensos. “O cuidado com a atenção básica reduziu em 20% o encaminhamento aos hospitais e emergências. Isso tem sido possível graças à dedicação dos médicos cubanos que, voluntariamente, vieram ao nosso País”, explicou.

Segundo o líder, o candidato Aécio, demonstrando sua falta de conhecimento sobre o Mais Médicos, disse que vai exigir o Revalida (revalidação dos diplomas), mas isso, na prática, esconde uma armadilha para a continuidade do programa. Isto, porque os médicos do programa não podem trabalhar em qualquer cidade do País, somente naqueles municípios onde os médicos brasileiros se recusam a trabalhar. “Propor a exigência do Revalida é atacar em cheio o espírito do programa que tem sido responsável por essa grande vitória da população brasileira”, disse.

Humberto Costa disse que continuará, da tribuna, denunciando a postura demagógica dos candidatos da oposição. “Os brasileiros devem ficar atentos com as propostas dos adversários do Brasil”, finalizou.

Leia também