Humberto: relatório não muda por falta de testemunha

Depoimento de Demóstenes está marcado para o dia 29. A defesa terá mais três dias para alegações.

 

:: Da redação23 de maio de 2012 18:57

Humberto: relatório não muda por falta de testemunha

:: Da redação23 de maio de 2012

humberto_interna_lateral

Não foi surpresa para ninguém a ausência do bicheiro Carlinhos Cachoeira na reunião do Conselho de Ética desta quarta-feira (22/05). Ainda ontem, os integrantes do colegiado já sabiam que ele não viria. Ainda assim, a reunião serviu para, que mais uma vez, o relator, senador Humberto Costa (PT-PE), reiterasse que seu relatório final não deve sofrer qualquer abalo pela ausência das testemunhas que defenderiam o senador Demóstenes Torres (ex-DEM– GO) das acusações de quebra de decoro parlamentar.

“Nossa expectativa era de que ele viesse. Ele não vindo, perde o senador Demóstenes e ,por outro lado, nós também vamos deixar de ter respostas a muitas indagações, disse o relator. Diplomático, ele fez questão de dizer que Cachoeira havia sido também arrolado pelo PSOL, que apresentou a representação contra o ex- líder do Democratas.

Antes, durante a reunião, o advogado de Demóstenes, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, reclamou da imprensa. “Todo mundo fala que o senador perdeu porque Cachoeira se negou a defendê-lo, mas ninguém disse que ele também se negou a acusar o senador”, disse, assim que lhe foi permitido falar ao plenário do Conselho de Ética.

Kakay assegurou aos jornalistas que Demóstenes comparecerá ao depoimento marcado para a próxima terça-feira (29/05), às 9h30. Para Humberto Costa, o depoimento será importante para a elaboração do relatório final sobre o caso. “Existe o espaço para o depoimento para que ele (Demóstenes) possa esclarecer fatos, defender-se de acusações. Estou inteiramente aberto a confrontar as denúncias com a defesa dele e elaborar um relatório levando em consideração tudo isso”, disse o relator, em entrevista à imprensa.

O testemunho do senador Demóstenes encerra o prazo para coleta de depoimentos sobre o caso. Em seguida, serão concedidos três dias para as alegações da defesa do senador. Aí então o relator apresenta seu parecer final que deve ser votado em cinco dias.

Caso seja aprovado, o relatório segue para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que vai elaborar parecer sobre quesitos legais e constitucionais. Em seguida, o texto é submetido à votação em plenário. “Minha expectativa continua a mesma. Até o final do mês de junho nós deveremos ter votado no Conselho de Ética o relatório final sobre o processo”, insistiu Humberto Costa.

Giselle Chassot

Ouça o que disse o senador Humberto Costa

{play}images/stories/audio/humberto_procuradores_1605.mp3{/play}

Leia mais:

 

 

Cachoeira recusa convite para defender Demóstenes

Convidado, Cachoeira pode ser obrigado a ir ao Conselho


Leia também