Inclusão social elevou o Brasil à 6ª maior economia do mundo, diz Pinheiro

:: Da redação7 de março de 2012 20:46

Inclusão social elevou o Brasil à 6ª maior economia do mundo, diz Pinheiro

:: Da redação7 de março de 2012

Após a confirmação de que o País ultrapassou o Reino Unido, projeções apontam que Brasil pode se tornar, ainda neste ano, a quinta maior economia, com PIB maior do que o da França.

As projeções de que o Brasil registraria índices de crescimento econômico superior ao Reino Unido e se tornaria a 6ª maior economia do mundo foram confirmadas pelo Centro para a Pesquisa Econômica e de Negócios (CEBR) nessa terça-feira (06/03). De acordo com o instituto, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro alcançou US$ 2,469 trilhões (cerca de R$ 4 trilhões) em 2011, e o britânico US$ 2,420 trilhões.

Esta notícia, na avaliação do líder do PT e do Bloco de Apoio ao Governo no Senado, Walter Pinheiro (BA), é resultado das políticas de inclusão adotadas pelas gestões petistas. “Viramos a sexta economia não como um processo de especulação, mas de repartição desse produto, desse ganho. Nós tivemos mais de 30 milhões de brasileiros que adentraram novas faixas de consumo”, afirmou.

Cenário inóspito
A diferença de crescimento entre as duas nações pode ser explicada com base em dois fatores: os efeitos prolongados na crise econômica na Europa que levaram a Grã-Bretanha a registrar um crescimento de 0,8%, enquanto o Brasil cresceu 2,7%; e a acentuada apreciação do real no período, superior à valorização da libra.

 Ainda assim, diversos setores da sociedade criticaram o índice de crescimento alcançado pelo Brasil, já que a previsão inicial para o ano passado girava em 4,5%. Mas Pinheiro ponderou que é preciso considerar que o Brasil está se consolidando como potência mundial em um cenário inóspito. “É óbvio que o desejo era que o PIB tivesse crescido acima dos 3%. Entretanto, os 2,7% são resultado de uma política econômica mundial em crise”, observou.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que é mais importante ter uma economia dinâmica, com crescimento sustentável, do que ter o sexto maior PIB global. Na mesma linha, o líder petista considerou que o fato do Brasil ganhar mais espaço na ordem do dia das discussões mundiais e passar a atrair mais investimentos, merece mais destaque do que o título.

Brasil pode ultrapassar a França ainda neste ano – e se tornar a quinta maior economia do planeta
Agora, somente Estados Unidos, China, Japão, Alemanha e França estão à frente do Brasil no ranking. Mas o estrategista-chefe do banco WestLB, Luciano Rostagno, responsável pela conversão dos PIBs em dólares, acredita que o País deve ultrapassar a França em 2015, estimativa semelhante à do FMI. “Estamos próximos da França, que ocupa a quinta posição e teve um PIB 12% maior que o Brasil no ano passado, com US$ 2,78 trilhões” disse.

Para alcançar a previsão de Rostagno, a economia brasileira precisa crescer 3,5% este ano, 4,5% no ano que vem e 5% em 2014 e 2015. Em contrapartida, a variação do PIB francês precisa se manter entre 1,5% e 2,5% nos próximos anos.
O ex-ministro das Comunicações no governo Fernando Henrique, Luiz Carlos Mendonça de Barros, também fez uma avaliação positiva da atividade econômica brasileira. Para ele, o PIB vai registrar um crescimento expressivo no fim deste ano, algo em torno de 5 ou 6%. Este crescimento deverá ser estimulado pelo maior fôlego da renda real, num cenário de queda da inflação, favorecida pelo alívio das commodities, e pelos cortes de juros e do relaxamento de algumas medidas macroprudenciais (de controle do crédito) promovidos pelo Banco Central.

Catharine Rocha com informações de agências on line

Leia mais:

PIB brasileiro crescerá entre 4% e 4,5% em 2012, estima Mantega


 

PIB per capita teve expansão de 1,8% em 2011, mostra IBGE


Leia também