Indígenas têm serviço odontológico nas aldeias

:: Da redação13 de agosto de 2012 13:54

Indígenas têm serviço odontológico nas aldeias

:: Da redação13 de agosto de 2012

Brasil Sorridente Indígena conta 25 Unidades Odontológicas Móveis 

Os cuidados com a saúde bucal estão mais acessíveis para os moradores de aldeias indígenas brasileiras com a compra nacional de 25 Unidades Odontológicas Móveis – um investimento de R$ 3,85 milhões em veículos e equipamentos. Cada unidade tem capacidade para realizar 350 atendimentos por mês. Esses investimentos fazem parte da estratégia de implantação do Brasil Sorridente Indígena, uma política do Ministério da Saúde, coordenado pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). 

“Agora, o Brasil Sorridente Indígena leva às aldeias as mesmas possibilidades de tratamento oferecidas na cidade. Antes o indígena tinha que sair da aldeia até o polo base ou ao município mais próximo para fazer uma restauração de dente”, afirmou o secretário especial de Saúde Indígena, Antônio Alves de Souza.

A população indígena atendida pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Guamá-Tocantins, que mora em aldeias localizadas ao leste do Pará e norte de Tocantins, recebeu nessa sexta-feira (10) duas Unidades Odontológicas Móveis. Com esta iniciativa, mais de sete mil indígenas serão beneficiados. Em um ano, o número de trabalhadores contratados para atuar na saúde indígena no DSEI Guamá-Tocantins – incluindo odontólogos e outros profissionais de saúde – subiu 24%, passando de 241 para 299 profissionais. A medida preencheu vagas em locais onde havia carência de profissionais de saúde.

Além disso, foram investidos R$ 25,6 mil para aquisição de 2.210 equipamentos como espelho clínico, pinças cirúrgicas, fórceps, tesouras clínicas e cirúrgicas, entre outros.

O Ministério da Saúde também adquiriu 1,5 mil kits de ionômero de vidro (material restaurador), para distribuição nos 34 DSEIs do País, ao custo de R$ 19,5 mil.

Assistência – Cada Unidade Odontológica Móvel conta com um consultório odontológico equipado com cadeira odontológica, kit de pontas (motor), cadeira do dentista (mocho), refletor, amalgamador e os materiais que fazem o preparo dos produtos utilizados nas restaurações dos dentes (fotopolimerizador), raio-x e autoclave para esterilização do material dentário.

As unidades possuem ainda ar-condicionado, lavatório, reservatórios de água, armários para armazenagem de material e, acoplado ao veículo, há uma carroceria para o transporte do gerador de energia.

Brasil Sorridente fez 150 milhões de atendimentos em 2011

Programa integra a Política Nacional de Saúde Bucal

Lançado em 2004, o programa Brasil Sorridente – integrante da Política Nacional de Saúde Bucal – implantou, pela primeira vez, políticas e ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal dos brasileiros. O aumento da oferta de serviços públicos de saúde bucal e de ações preventivas poupou a extração de 400 mil dentes, por ano, no País, de acordo com o Ministério da Saúde. No ano passado, foram realizados mais de 150 milhões de atendimentos odontológicos na rede pública. 

Além dos consultórios odontológicos e das unidades móveis, o Brasil Sorridente está fazendo mutirões para levar o tratamento de dente ou a confecção de próteses às regiões onde vive a população mais pobre, áreas rurais e assentamentos por todo o País. A ação, que está ocorrendo em diversos estados, contribuiu para elevar em 85% a distribuição de próteses dentárias em 2011 em comparação com 2010 – de 183 mil para 340 mil próteses. A previsão é chegar a 400 mil unidades até o final do ano em 1.304 municípios. 

“O Brasil Sorridente já é o maior programa de atendimento odontológico público e gratuito do mundo. Estamos investindo cada vez mais para que a população possa tratar dos dentes desde a infância até a idade adulta”, afirma a presidenta da República, Dilma Rousseff.

Em Questão

Leia Mais:

Dilma: Brasil Sorridente vai garantir atendimento odontológico à população


Leia também